Sudão do Sul: “Álbum de fotos” ajuda crianças a encontrar entes queridos

05 março 2015
Sudão do Sul: “Álbum de fotos” ajuda crianças a encontrar entes queridos
Em busca dos seus entes queridos, um grupo de pessoas em Leer confere um álbum que contém fotos de crianças do Sudão do Sul localizadas nos países vizinhos.

Meninos e meninas desacompanhados se encontram entre as centenas de milhares de pessoas que fugiram da violência constante no Sudão do Sul para os países vizinhos Etiópia, Uganda, Sudão e Quênia. A utilização de um "álbum de fotos" pelo Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) e pelas Sociedades locais da Cruz Vermelha está ajudando adultos e menores a encontrarem seus familiares perdidos. Desde o começo do ano, foram realizadas 120 conexões entre familiares.

Os primeiros álbuns com mais de 500 fotos de adultos e menores desacompanhados foram levados para os campos de refugiados em Gambella, Etiópia, e em janeiro e fevereiro eles foram mostrados em campos e outros locais no Sudão do Sul, no Quênia e em Uganda. "O álbum está preenchendo uma lacuna importante", disse Natalie Klein-Kelly, delegada do CICV na Etiópia que trabalha no projeto. "Em bastantes casos, as pessoas temiam que seus entes queridos não tivessem sobrevivido, mas na verdade eles apenas saíram correndo em outra direção".

Enquanto as negociações de paz continuam, os combates castigam comunidades do Sudão do Sul nos estados de Unity, Upper Nile e Jonglei. Centenas de milhares de pessoas fugiram. O CICV e as Sociedades locais da Cruz Vermelha estão ajudando a restabelecer o contato entre os membros de famílias separadas por meio de telefonemas, Mensagens Cruz Vermelha (mensagens escritas breves e pessoais), pedidos de busca e uma iniciativa de busca por fotos chamada Snapshot .

Quando a violência se deflagra, as pessoas se dispersam em busca de segurança. Se uma criança pequena estiver sozinha naquele momento, ela poderia fugir correndo junto a outras pessoas e se separar da família.

O CICV tira fotos de pessoas que buscam seus entes queridos e depois as mostra a pessoas deslocadas em regiões muito espalhadas. Os álbuns listam os refugiados segundo seu lugar de origem em vez de usar nomes, para permitir que uma população parcialmente analfabeta encontre seus familiares com maior facilidade.
"O álbum de fotos é algo de que obviamente as pessoas vão querer revisar cada página", afirmou Klein-Kelly. "Nós o chamamos de brincadeira como 'Facebook dos refugiados'!".

Fotos tiradas na Etiópia

Os refugiados que sabem onde está um ente querido podem lhe enviar Mensagens Cruz Vermelha ou telefonar para a pessoa. Os refugiados em Gambella, Etiópia, já enviaram mais de mil mensagens deste tipo e realizaram aproximadamente 10 mil ligações. Cerca de 10 por cento dos participantes são menores de idade.

Uma mulher de 18 anos escreveu uma Mensagem Cruz Vermelha à mãe depois de encontrar uma foto dela. "Encheu-nos de alegria ver a sua foto no álbum do CICV. Seus netos estão bem e também viram a foto".
Uma menina escreveu à mãe: "Não temos forma de chegar até onde você está. Conserve meu número de telefone, que está escrito neste papel".

Apenas a metade dos refugiados do Sudão do Sul em Gambella tem telefone. O CICV proporciona celulares ou telefones via satélite grátis para ajudar a reconectar as pessoas com suas famílias.

No ano passado, delegados de busca do CICV cadastraram cerca de cem menores desacompanhados no Sudão do Sul, 53 dos quais foram reunidos com suas famílias desde então. Muitas vezes, este processo requer semanas ou meses de trabalho paciente e cuidadoso e pode envolver parceiros como a Cruz Vermelha do Sudão do Sul, a Cruz Vermelha da Etiópia, a Cruz Vermelha do Quênia e a Cruz Vermelha de Uganda.

Esforços similares para restabelecer os laços familiares são realizados na Uganda, onde foram cadastradas 256 crianças desacompanhadas. Atualmente, 89 continuam procurando suas famílias. Mais de 6 mil ligações do CICV foram realizadas por refugiados do Sudão do Sul em Uganda. A organização também cadastrou mais de 50 menores desacompanhados e permitiu que refugiados do Sudão do Sul no campo de Kakuma, Quênia, realizassem 3 mil telefonemas em 2014. Até o presente momento, a utilização do álbum de fotos no Quênia resultou em 45 conexões entre familiares separados.

Uma equipe do CICV viajou ao estado de Unity para enviar uma mensagem Cruz Vermelha e organizar com sucesso um telefonema entre familiares separados pelos episódios recentes de violência CC BY-NC-ND/CICV/Pawel Krzysiek

Contra o recrutamento de crianças

Cada vez mais casos de crianças obrigadas a se unir a grupos armados foram informados. O CICV lembra incansavelmente todas as partes no conflito da sua obrigação de acatarem o Direito Internacional Humanitário (DIH), incluindo a proibição absoluta de recrutar e utilizar crianças em forças armadas e grupos armados. Quando é contatada pela família de uma criança supostamente recrutada, a organização pode tentar relocalizar a criança por meio do diálogo direto e confidencial com a entidade correspondente.

Provisão de assistência

Desde a eclosão deste conflito em dezembro de 2013, o CICV trabalhou intimamente com a Cruz Vermelha do Sudão do Sul para levar alimentos, água potável, sementes e ferramentas àqueles que os necessitam. Enquanto isso, equipes cirúrgicas do CICV trataram pessoas feridas pelos combates.

Em total, o CICV:

 

  •  forneceu mais de 940 mil refeições por mês, ajudando mais de 150 mil pessoas nas áreas mais afetadas de forma regular;
  • proporcionou sementes, ferramentas e equipamentos para pesca para mais de 500 mil pessoas;
  • levou água potável para quase 300 mil pessoas;
  • realizou mais de 4 mil cirurgias em 15 locais (cinco equipes cirúrgicas);
  • visitou 6,4 mil pessoas detidas;
  • possibilitou a realização de mais de 14 mil telefonemas para ajudar a restabelecer os laços familiares.

 

Mais informações:
Pawel Krzysiek, CICV Juba, fone: +211 912 360 038 @pawelkrzysiek
Jason Straziuso, CICV Nairóbi, fone: +254 733 622 026 @ICRC_Africa
Jean-Yves Clémenzo, CICV Genebra, fone: +41 22 730 22 71 ou +41 79 217 32 17 @JClemenzoICRC

Desde 2008, a Cruz Vermelha do Sudão do Sul (CVSS) (anteriormente o Crescente Vermelho do Sudão), junto ao CICV e aos seus parceiros do Movimento de Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho, prestou apoio para a criação, o treinamento e o equipamento das Equipes de Atuação de Emergências (EAE). CC BY-NC-ND/CICV/Jacob Zocherman

Fotos: CC BY-NC-ND/CICV/Pawel Krzysiek/Jacob Zocherman

Em busca dos seus entes queridos, um grupo de pessoas em Leer confere um álbum que contém fotos de crianças do Sudão do Sul

Em busca dos seus entes queridos, um grupo de pessoas em Leer confere um álbum que contém fotos de crianças do Sudão do Sul

Uma equipe do CICV viajou ao estado de Unity para enviar uma mensagem Cruz Vermelha e organizar um telefonema entre familiares.

Uma equipe do CICV viajou ao estado de Unity para enviar uma mensagem Cruz Vermelha e organizar um telefonema entre familiares.

Desde 2008, a Cruz Vermelha do Sudão do Sul apoia a criação, treinamento e equipamento da Equipe de Ações de Emergência.

Desde 2008, a Cruz Vermelha do Sudão do Sul apoia a criação, treinamento e equipamento da Equipe de Ações de Emergência.

Atividades de uma  Equipe de Ações de Emergência.

Atividades de uma Equipe de Ações de Emergência.