Tabib: a proteção da assistência à saúde chega ao cinema

19 dezembro 2017
Tabib: a proteção da assistência à saúde chega ao cinema

"Tabib" – "doutor" em árabe – é um curta-metragem filmado na Síria pelo diretor italiano Carlo D'Ursi. Baseado em uma história real, o filme imagina os últimos momentos da vida de um médico antes do seu hospital ser destruído por um ataque aéreo. O médico em questão, Dr. Muhammad Waseem Maaz, era o último pediatra que trabalhava em Aleppo e a sua morte no dia 27 de abril de 2016 foi notícia nas redes sociais e na imprensa internacional. Patrocinado pela Cruz Vermelha Espanhola e pelo Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV), o filme já recebeu inúmeros prêmios em festivais de cinema nacionais e internacionais. Perguntamos ao diretor como ele teve a ideia de fazer "Tabib" e porque apoia a mensagem de que os profissionais de saúde #NãoSãoUmAlvo.

Lembro que fazia um calor insuportável nesse dia. Estava sentado no sofá assistindo à televisão na casa da minha mãe, quase dormindo. O aroma do café italiano se espalhava pelo ar. De repente, uma explosão nas notícias chamou a minha atenção; vi o pânico e o horror nos rostos das pessoas. Sem poder acreditar no que via, fui tomado pela fúria, tristeza e indignação. O último pediatra de Aleppo, Dr. Maaz, fora morto em um ataque aéreo ao Hospital Al Quds.

Venho de uma família de médicos e tive um forte sentimento de que precisava fazer algo. Na minha casa, são três gerações de médicos e eu: artista, ator. Podemos dizer que sou a ovelha negra. A medicina nunca me interessou, mas sempre admirei os meus pais e parentes pela dedicação e pelo sacrifício deles. Quando o meu avô morreu, com apenas 45 anos, ele já tinha ajudado a trazer ao mundo mil bebês de famílias pobres no sul da Itália depois da guerra. Embora não o tenha conhecido, sinto um grande orgulho e respeito por ele e muitas vezes visito a sua estátua na praça principal da cidade natal da minha mãe. Ele era tão admirado que algumas pessoas queria fazer uma petição para o Vaticano o nomeasse santo.

A ideia de fazer "Talib" surgiu momentos depois de ver as notícias sobre o Dr. Maaz. Queria honrar a memória desse homem e, acima de tudo, fazer uma homenagem a todos os profissionais de saúde – homens e mulheres valentes – que se dedicam a salvar vidas. Aqueles que trabalham nas zonas de conflito merecem um reconhecimento especial: enquanto outras pessoas fogem em busca de segurança, esses médicos, enfermeiros e motoristas de ambulância põem em risco as suas vidas e ficam para trás para cuidar dos doentes e feridos. Realmente, acredito que os profissionais de saúde devem ser respeitados e protegidos em situações como essa. Por isso fiquei tão horrorizado quando ouvi as notícias do que havia acontecido em Aleppo.

Mais tarde, nesse mesmo dia, liguei para Ana Puentes, uma grande amiga minha e roteirista com quem já trabalhei antes. Conversamos sobre a minha ideia para um roteiro. O script ficou pronto em poucas semanas. Enviamos a proposta do projeto para o Ministério da Cultura espanhol, onde foi muito bem recebido. Tanto o ministro, como a autoridade local da Comunidade de Madrid financiaram o filme. Somente depois soube que a Espanha já estava fortemente envolvida em esforços diplomáticos para proteger os profissionais de saúde em zonas de conflito: o país respaldou a Resolução 2286 do Conselho de Segurança das Nações Unidas para que terminassem os ataques contra os hospitais e os profissionais de saúde. Ao mesmo tempo em que trabalhávamos na filmagem, descobrimos que incidentes como o bombardeio do Hospital Al Quds eram, na verdade, mais comuns do que pensávamos e ficamos horrorizados.

Queria honrar a memória desse homem e, acima de tudo, fazer uma homenagem a todos os profissionais de saúde – homens e mulheres valentes – que se dedicam a salvar vidas .

O projeto logo adquiriu vida própria. Fizemos uma parceria com a Cruz Vermelha Espanhola e o CICV: participar da iniciativa Assistência à Saúde em Perigo parecia a coisa mais natural a fazer. Fui apresentado ao presidente do CICV, Peter Maurer, por Francisco Javier Sanabria Valderrama, diretor geral para questões relacionadas com as Nações Unidas e direitos humanos do Ministério de Relações Exteriores espanhol.

A relação entre paciente-médico reluz em "Tabib" como um exemplo de humanidade e gentileza que pode ser encontrado até mesmo nos momentos mais obscuros. Finalmente, o filme é uma mensagem de esperança. Imaginava o Dr. Maaz dedicando-se a reconfortar um paciente assustado, assim como tratando dele, enquanto o bombardeio aéreo continuava. Imaginava-o tranquilizando uma criança e fazendo-a sorrir. Os seres humanos são capazes de atos extraordinários. Salvar uma vida, às vezes às custas da sua própria, é talvez o mais extraordinário de todos.

Por Carlo d'Ursi

O projeto Assistência à Saúde em Perigo é uma iniciativa do Movimento Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho que visa tornar o acesso e a prestação de assistência à saúde mais seguros em conflitos armados e outras emergências. Esta iniciativa pede o respeito e a proteção dos profissionais, estabelecimentos e veículos de saúde, ao mesmo tempo em que promove a implementação de uma série de recomendações e medidas práticas para proteger os serviços de assistência à saúde. Esta iniciativa conta com o apoio de diversos parceiros, indivíduos e organizações, membros da Comunidade de Interesse do projeto Assistência à Saúde em Perigo.