Afeganistão: centros de saúde apoiados pelo CICV trataram mais de 4 mil pessoas feridas por armas desde 1º de agosto

11 agosto 2021
Afeganistão: centros de saúde apoiados pelo CICV trataram mais de 4 mil pessoas feridas por armas desde 1º de agosto

Genebra/Cabul (CICV) – Centenas de milhares de civis estão em risco após a intensificação dos combates em Kunduz, Lashkar Gah, Kandahar e outras cidades afegãs. O Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) faz um apelo a ambas as partes do conflito para que exerçam moderação de forma imediata. O CICV pede que civis e estabelecimentos essenciais, como hospitais, sejam protegidos contra ataques e quaisquer danos colaterais causados pelos combates em áreas povoadas.

Desde 1º de agosto, 4.042 pacientes feridos por armas foram tratados em 15 centros de assistência à saúde apoiados pelo CICV, o que demonstra a intensidade da violência recente.

"Estamos vendo casas destruídas, equipes médicas e pacientes correndo um enorme risco e danos à infraestrutura de hospitais, de eletricidade e de água", disse o chefe de delegação do CICV no Afeganistão, Eloi Fillion. "O uso de armamentos explosivos nas cidades está provocando um impacto indiscriminado na população. Muitas famílias não têm outra opção além de fugir em busca de um lugar mais seguro. Isso tem que acabar."

Os confrontos nas ruas de Kunduz, Lashkar Gah e outras cidades nos últimos dias deixaram centenas de civis feridos em um momento em que os serviços de saúde estão sobrecarregados devido aos danos aos centros de assistência médica e à falta de pessoal. Não há eletricidade em várias cidades disputadas e os sistemas de abastecimento de água praticamente não funcionam em alguns lugares. Muitas famílias estão tentando ir embora, mas não conseguem encontrar transporte para escapar ou simplesmente não têm condições financeiras para isso.

O CICV e o Crescente Vermelho do Afeganistão estão fazendo o máximo possível para evacuar as pessoas feridas e transportar os restos daquelas que morreram em decorrência do conflito. Somente em julho, o CICV ajudou quase 13 mil pacientes feridos por armas em todo o país, e é provável que esse número suba neste mês, já que aumentam os combates em áreas extremamente povoadas.

"Os profissionais, estabelecimentos e veículos de saúde devem ser poupados a todo custo", disse Fillion. "Também pedimos a todas as partes combatentes que permitam que organizações humanitárias como o CICV e o Crescente Vermelho do Afeganistão evacuem com segurança os feridos e prestem a assistência necessária à população civil."

No Afeganistão, o CICV tem uma equipe de 1.800 funcionários internacionais e nacionais que prestam assistência humanitária diversificada em todo o país. Nosso objetivo não é apenas prestar assistência, mas também manter civis e pessoas privadas de liberdade a salvo. Para saber mais sobre as atividades do CICV durante o primeiro semestre de 2021, leia nossas informações atualizadas.