Página arquivada:pode conter informações antigas

Geórgia/Federação Russa: CICV continua a prestar assistência às vítimas do conflito

22-08-2008 Relatório de operações

O Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) continua a prestar ajuda aos afetados pelo conflito armado, com o fornecimento de água potável e gêneros emergenciais como kits de higiene, cobertores e utensílios de cozinha. Delegados do CICV também começam a atender ao grande número de pessoas preocupadas com parentes separados pelos combates.

 

Geórgia 
 

  Ossétia do Sul  

A equipe do CICV, que chegou em 20 de agosto a Tskhinvali, capital da Ossétia do Sul, prosseguiu seus trabalhos de avaliação em 21 de agosto.

A equipe visitou o principal hospital da cidade e constatou que alguns de seus edifícios foram danificados. Um engenheiro de água e habitat do CICV se reuniu com técnicos do hospital para determinar se o CICV pode ajudar a melhorar ou consertar os sistemas de água e saneamento. Médicos disseram à equipe que todas as 223 pessoas feridas na Ossétia do Sul e levadas ao hospital haviam sido transferidas para unidades médicas na Federação Russa.

Delegados do CICV visitaram amplas partes da cidade, inclusive as que foram destruídas. Alguns edifícios tiveram suas janelas quebradas, agora cobertas por plástico. O abastecimento de água e eletricidade parece funcionar com cortes ocasionais. Outras áreas em Tskhinvali não foram afetadas pelos combates.

O comércio conta com alguns suprimentos, como azeite e sucos de fruta, mas os residentes recebem refeições quentes das autoridades russas.

O CICV começa a averiguar a escala das demandas fora das cidades e até que ponto as famílias foram separadas pelo conflito. Equipes de buscas do CICV estão sendo altamente solicitadas ante o número crescente de pessoas que comparecem aos centros de deslocados, em lugares como Tblisi, para informar sobre parentes perdidos e buscar ajuda para os que foram deixados para trás em suas casas.

  Base do CICV em Gori está em pleno funcionamento  

Em 21 de agosto, equipes médicas e de assistência do CICV na cidade georgiana de Gori visitaram, pela primeira vez, povoados isolados ao norte e ao sul da cidade.

Parece que as pessoas mais velhas são as que foram deixadas para trás. Elas estão vivendo em condições muito difíceis, especialmente com falta de comida. Alguns povoados estão sem eletricidade. A visita da organização forneceu a primeira ajuda humanitária aos moradores em duas semanas. O CICV entregou um caminhão de comida aos residentes de vários povoados.

  Ajuda para as pessoas  

Até agora, o CICV forneceu comida e assistência material a pelo menos 7 mil pessoas em 21 abrigos na Geórgia, incluindo Tblisi, Gori e Zugdidi. Na capital Tblisi e em outras cidades georgianas, continua a distribuição de gêneros de primeira necessidade. A organização restabeleceu o acesso a água potável e melhorou as condições sanitárias para outras 3.700 pessoas. Mais de 10 mil pessoas já receberam assistência na Geórgia.

Com a abertura de seu escritório em Gori, o CICV pôde prestar ajuda adicional a povoados isolados nos arredores da cidade, onde pessoas ainda podem estar sem receber assistência. Cerca de mil pessoas receberam comida e artigos de primeira necessidade do CICV até agora em Gori (incluindo as mencionadas no total de 10 mil acima).

A organização continua a apoiar hospitais com medicamentos e suprimentos médicos.

  Laços familiares e pessoas de paradeiro desconhecido  

O CICV vai permanecer em contato com autoridades a fim de esclarecer o destino de pessoas cujo paradeiro continua desconhecido e ajudar a resta belecer os laços entre membros de famílias que foram separadas em função do conflito.

A organização vai apoiar os esforços das autoridades no sentido de garantir que os restos humanos sejam identificados de forma apropriada e, onde for possível, ajudar a levá-los de volta à suas famílias.

  Detidos  

O CICV continua a buscar acesso a todos os detidos em relação com o conflito. A organização está disposta a prestar assistência, na qualidade de intermediário neutro, no caso de que haja liberação ou troca de detidos, civis ou prisioneiros de guerra.

 
Federação Russa 
 

O CICV realizou sua primeira visita a Dzinaga, uma área montanhosa muito distante na Ossétia do Norte, e constatou que está tudo sob controle. As autoridades e o CICV observaram que mais pessoas estão deixando a Federação Russa e retornando a Tskhinvali e outras partes da Ossétia do Sul. Recentes visitas do CICV e da Cruz Vermelha da Rússia a cinco centros na Ossétia do Norte determinaram que o número de pessoas deslocadas diminui diariamente e que alguns centros estão fechando.

Em 20 de agosto, a organização distribuiu produtos de higiene a mais de 420 pessoas em quatro centros para deslocados na Ossétia do Norte (em Alaguir, Urdson e Metallurg). Com isso, mais de mil pessoas nessa província já receberam assistência do CICV e da Cruz Vermelha da Rússia. O CICV ajudou pessoas deslocadas em 10 centros.

O CICV está ajudando a equipe da Cruz Vermelha da Rússia na Ossétia do Norte a avaliar as necessidades de pessoas deslocadas que receberam acomodação privada na Ossétia do Norte. De acordo com autoridades russas, cerca de 4.200 pessoas deslocadas em função d o conflito fugiram para o Cáucaso setentrional e permanecem em 58 centros. Estima-se que 13 mil deslocados permanecem em acomodação privada ou em casas de parentes na Federação Russa. Segundo as autoridades, aproximadamente 18 mil pessoas já retornaram às suas casas.