Camboja: Detidos e funcionários penitenciários trabalham juntos para melhorar as condições das cárceres

29 dezembro 2015
Camboja: Detidos e funcionários penitenciários trabalham juntos para melhorar as condições das cárceres
Um detido ajuda a construir um novo forno. CC BY-NC-ND / CICR /R. Chim

Nos últimos 20 anos, os engenheiros de água e habitat do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) trabalharam em estreita parceria com o serviço penitenciário de Camboja para reduzir os níveis de estresse dos detidos, melhorar o saneamento e as condições gerais de detenção em todo o país. Este ano, o serviço penitenciário realizou um projeto independente pela primeira vez.

Funcionários do CICV visitam o Presídio Provincial de Siem Reap. CC BY-NC-ND / CICR /R. Chim

Com recursos do CICV, uma equipe de engenheiros cambojanos construiu dois fornos e fizeram outras melhorias na cozinha no Presídio Provincial de Siem Reap. O projeto foi concluído em apenas 54 dias e não superou o orçamento previsto graças ao trabalho árduo dos funcionários penitenciários e de 17 detidos que assistiram os engenheiros.

Novos fornos no Presídio Provincial de Siem Reap. CC BY-NC-ND / CICR /R. Chim

"Os novos fornos facilitam a preparação das refeições. Mas, sobretudo, consomem menos casca de arroz como combustível", afirmou Filipa Correia, engenheira do CICV responsável pelo programa de água e habitat em Camboja. Além disso, a relação entre os guardas e os detidos também melhorou.

A casca do arroz usada como combustível para cozinhar no Presídio Provincial de Siem Reap. CC BY-NC-ND / CICR /R. Chim

Em outubro, o CICV se reuniu com o diretor do Presídio Providencial de Siem e a equipe de engenheiros que trabalhou no projeto para avaliar os resultados. "Com certeza continuaremos apoiando o serviço penitenciário de Camboja em projetos semelhantes", declarou Correia. "O que vimos em Siem Reap demonstrou o compromisso deles para melhorar as condições de detenção e a capacidade de se desempenharem em um nível mais alto."