Como um espetáculo de circo ajuda a tornar a realidade em Jerusalém mais suportável

09 maio 2016

"Algumas pessoas se expressam através da dança ou da narração de histórias. Eu recorro ao circo porque posso conscientizar as pessoas sobre muitas coisas que não funcionam na Cisjordânia, enquanto as faço rir e esquecer as dificuldades que enfrentam todos os dias."

O relato acima é de Nour AbuRob. Artista circense, ele nasceu em Jenin, uma cidade ao norte da Cisjordânia. Para ele, o circo é uma maneira de expressar os seus sentimentos. O jovem foi uma das estrelas do espetáculo Mish Zabta ("Não está funcionando", em português), uma das principais produções da Escola Palestina de Circo.

Esta matéria foi originalmente publicada no HuffPost Brasil.

Receba o boletim do CICV