Dia Mundial Humanitário 2017: Os trabalhadores humanitários #NãoSãoUmAlvo

18 agosto 2017

Desde o Dia Mundial Humanitário de 2016, 32 voluntários e funcionários da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho foram mortos no mundo todo enquanto realizavam seu trabalho. Para cada trabalhador humanitário que perdemos, quantas pessoas vulneráveis mais e que precisam de ajuda sofrerão?

No dia 6 de agosto, seis voluntários da Cruz Vermelha da República Centro-Africana (RCA) foram mortos de maneira violenta. Os voluntários participavam de uma reunião sobre a crise em um estabelecimento de saúde em Gambo, distrito de Mbomou, sudeste da RCA, no dia 3 de agosto.

No dia 8 de fevereiro, seis dos nossos colegas foram atacados e mortos no Afeganistão. No mesmo dia, um centro de distribuição de Aleppo, na Síria, foi atingido – matando dois voluntários do Crescente Vermelho Árabe Sírio.

Desde as mortes no Afeganistão, milhares de pessoas ao redor do mundo se uniram a uma mensagem: voluntários e profissionais humanitários #NãoSãoUmAlvo.