Iraque: CICV condena com veemência uso de armas químicas em Mossul

03 março 2017
Iraque: CICV condena com veemência uso de armas químicas em Mossul
Oeste da cidade de Mossul, fevereiro de 2017 (fototeca) / EPA

Bagdá (CICV) – O Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) condena com a maior veemência possível o uso de armas químicas nos combates ao redor da cidade iraquiana de Mossul. Sete pacientes que apresentam sintomas consistentes com a exposição a um agente químico tóxico estão sendo tratados no Hospital de Rozhawa, próximo a Mossul, onde ocorrem os confrontos. As equipes médicas do CICV se encontram no hospital oferecendo total apoio aos profissionais locais.

"Nos últimos dois dias, foram admitidas no hospital cinco crianças e duas mulheres que apresentavam sintomas clínicos consistentes com a exposição a um agente químico que causa bolhas", afirmou o diretor regional do CICV para o Oriente Médio, Roberto Mardini. "O uso de armas químicas é absolutamente proibido pelo Direito Internacional Humanitário (DIH). Estamos profundamente alarmados pelo que viram os nossos colegas e condenamos veementemente o uso de armas químicas, por qualquer parte em qualquer lugar", acrescentou Mardini.

Os sintomas dos pacientes admitidos no Hospital de Rozhawa incluem bolhas, vermelhidão nos olhos, irritação, vômitos e tosse. As equipes médicas do CICV que trabalham nos hospitais próximos a Mossul capacitaram os profissionais locais na descontaminação e tratamento dos pacientes expostos a agentes químicos. Também foi entregue material médico. Nossas equipes trabalham em estreita parceria com as autoridades de saúde correspondentes e com a Organização Mundial da Saúde (OMS) para se prepararem em caso de outras ocorrências.

Mais informações:

Sara Alzawqari (inglês/árabe), CICV Bagdá, tel: +964 790 191 69 27
Iolanda Jaquemet, CICV Genebra, + 41 79 447 37 26

 

 

Veja também

Iraque - Crise em Mossul

Receba o boletim do CICV