Líderes da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho e Estados tomam medidas decisivas para avançar com a ação humanitária baseada em princípios

11 dezembro 2015

Genebra, 10 de dezembro de 2015 – A 32a Conferência da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho finalizou com um apelo a uma maior colaboração entre os Estados, organizações humanitárias e outras partes interessadas para lidar com as crescentes necessidades humanitárias.

A conferência, que se realiza a cada quarto anos, reuniu representantes de 169 governos, 185 Sociedades Nacionais da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho, a Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho (FICV), o Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) e mais de 100 observadores em um esforço para encontrar uma visão comum da ação humanitária no futuro.

"Esta reunião é um marco para que possamos estabelecer conjuntamente a direção a seguir. Devemos focalizar em colocar em ação as decisões que foram tomadas aqui", declarou a presidente do Crescente Vermelho Afegão, Fatima Gailani, que presidiu a Conferência.

"Se os próximos anos foram similares a este que passou, as medidas decididas aqui deverão afrontar os desafios que ainda sequer compreendemos. Quem, quatro anos atrás, teria previsto que o conflito sírio estaria tão arraigado e que haveria um fluxo imenso de migrantes para a Europa, ou o surto do Ebola?", pergunta.

O secretário-geral da FICV, Elhadj As Sy, afirmou: "A conferência adotou uma série de resoluções que beneficiarão diretamente as comunidades vulneráveis e as pessoas que as atendem. A resolução sobre a segurança e proteção dos voluntários, por exemplo, faz um apalo aos Estados para assegurar que os voluntários humanitários estejam protegidos, incluindo a provisão de seguro de vida e outras redes de segurança".

A Conferência também enfatizou a importância de enfocar de modo proativo os riscos e vulnerabilidades cada vez maiores. "Precisamos fazer mais para acompanhar as comunidades enquanto elas lidam com os desafios, antes que estes se tornem desastres, apoiando-as para se tornarem mais resilientes. A nossa coalizão One Billion Coalition for Resilience capta essa ambição sobre o tipo de escala necessária para fazer a diferença nas vidas dos mais vulneráveis".

Com esta finalidade, a conferência adotou uma resolução que melhorá a prestação e a regulamentação da resposta internacional aos desastres, fortalecerá a coordenação e a legislação para a redução dos riscos de desastres e promoverá a implementação de leis para os primeiros socorros.

"Como um Movimento coeso, podemos dirigir uma resposta que seja tanto local como global, estabelecendo um diálogo com os Estados, setor privado, comunidades e indivíduos. Isso é o que as pessoas nas linhas de frente do Iêmen e Afeganistão ou os migrantes e refugiados enfrentando um inverno gélido no Líbano e Sérvia precisam hoje", afirmou o diretor-geral do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV), Yves Daccord. "Não estamos aqui para conversar, mas para agir".

Daccord acrescentou: "juntos com os Estados, resolvemos fazer mais para enfrentar e prevenir dois dos maiores flagelos humanitários da atualidade: os ataques contra os profissionais e estabelecimentos de saúde e a violência sexual e de gênero nas crises. Do Sudão do Sul à Síria, garantir o acesso à assistência à saúde em zonas de guerra é uma prioriade máxima. Centenas de milhares de vidas estão em jogo."
Outras resoluções incluem medidas para fortalecer o cumprimento do Direito Internacional Humanitário (DIH) e a proteção das pessoas detida em relação com conflitos armados não internacionais.

No último dia da 32a Conferência da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho, todos os participantes – representando os governos e o Movimento, assim como as organizações parceiras – concordaram sobre a necessidade de redobrar os esforços para lidar com as questões humanitárias mais prementes da atualidade e assegurar que as pessoas necessitadas continuem recebendo assistência.

Mais informações:
FICV
Benoit Matsha-Carpentier, líder da equipe, comunicação pública e difusão
Tel: +41 792 132 413 | Email: benoit.carpentier@ifrc.org

Reeni Amin Chua, oficial sênior de comunicação
Tel: +41 797 086 273 | Email: reeni.aminchua@ifrc.org

CICV
Jennifer Tobias, oficial de relações públicas
Tel: +41 79 536 92 48 | Email:jtobias@icrc.org

Elodie Schindler, oficial de relações públicas
Tel: +41 79 217 32 51 | Email: eschindler@icrc.org

 

Mais informações: www.rcrcconference.org