Número de famílias separadas por conflito, violência ou desastre natural vem aumentando nos últimos cinco anos, afirma o Comitê Internacional da Cruz Vermelha

11 dezembro 2017

Genebra - O número de famílias separadas por conflito, violência ou desastre natural vem aumentando nos últimos cinco anos, afirma o Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV). Os novos casos de familiares que contatam a organização buscando encontrar os seus entes queridos aumentaram em quase 90% no período de 2012 a 2016, com 18 mil casos abertos somente no ano passado.

Contudo, o CICV alerta que esta é apenas a ponta do iceberg, já que a inexistência de uma coleta de dados precisos significa que a quantidade de famílias separadas provavelmente seja muito maior. O alerta coincide com o lançamento da nova campanha de Natal da organização, que mostra o desespero causado por uma separação familiar em um filme de 1 min 31 seg: O pior pesadelo de todos os pais.

Com a utilização de imagens simuladas com câmaras de circuito fechado, que mostram pais em uma série de ambientes familiares, como lojas lotadas e zoológicos, o filme retrata o pânico de mães, pais e avós que momentaneamente perdem os seus filhos e netos e os esforços frenéticos para encontrá-los. Os episódios temporários são contrastados com os anos de separação sofridos pelas milhares de famílias em todo o mundo, ao mesmo tempo que são mostradas algumas das reunificações emocionantes que o CICV facilitou.

A organização pede que as pessoas compartilhem o vídeo para ajudar na conscientização e que colaborem, apoiando o trabalho vital que visa assegurar que as famílias possam estar juntas durante esta época especial e em todos os demais dias do ano.

"A dor de perder um filho é o pior pesadelo de todos os pais, mas, para as famílias afetadas por conflito, violência ou desastre natural, é uma dura realidade que pode durar anos. Os conflitos estão cada vez mais prolongados e o mundo assiste ao maior movimento de pessoas desde a Segunda Guerra Mundial: esses fatores aumentam os riscos da perda de contato entre as famílias", declarou Matt Clancy, porta-voz do CICV.

"A reunificação de famílias é tão importante em uma missão humanitária como fornecer comida, abrigo ou água. Trata-se de restabelecer a dignidade das pessoas e reconectá-las com as que elas amam. Além disso, nas situações de conflitos armados, a reunificação familiar está prevista pelo Direito Internacional."

O CICV age para resolver essa questão tentando reunir familiares separados. Durante mais de 100 anos, o CICV e os seus parceiros do Movimento da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho vêm trabalhando para que famílias separadas voltem a se encontrar. Às vezes, isso pode ser feito através de uma carta ou telefonema; às vezes, mediante um encontro como os que aparecem no vídeo.

Para mais informações sobre como colaborar com o Comitê Internacional da Cruz Vermelha, visite:


Mais informações:

Matt Clancy, CICV Genebra, +41 79 574 15 54

Nota para os editores

Mulheres e crianças

  • quase 15 mil mulheres estão atualmente desaparecidas. É mais que o dobro de cinco anos atrás.
  • no ano passado, o CICV recebeu mais de 5 mil novos casos de famílias que buscam parentes do gênero feminino.
  • mais de 7 mil meninas estão atualmente desaparecidas. O CICV abriu 2 mil casos no ano passado e observou um aumento de 80% nos últimos cinco anos.
  • mais de 15 mil crianças estão atualmente desaparecidas. É quase o triplo do número de casos que o CICV recebeu em 2012.
  • em 2016, quase 6,5 mil famílias buscaram ajuda junto ao CICV para encontrar os seus filhos.

Atividades gerais

Nos últimos cinco anos, o CICV:

  • distribuiu mais de meio milhão de mensagens entre famílias;
  • facilitou mais de dois milhões de telefonemas;
  • reuniu mais de 7 mil famílias;
  • transferiu mais de 7 mil restos mortais;
  • emitiu mais de 20 mil documentos de viagem;
  • emitiu quase 100 mil certificados de detenção.