Sudão do Sul: Centenas de milhares de pessoas enfrentam crítica escassez de alimentos

11 dezembro 2015
Sudão do Sul: Centenas de milhares de pessoas enfrentam crítica escassez de alimentos
Unity State, Leer, Sudão do Sul. Um homem ajuda uma mulher com um saco de sorgo sobre sua cabeça em um centro de distribuição do CICV. ©Jacob Zocherman/CICV

Genebra/Juba (CICV): Centenas de milhares de sudaneses do sul enfrentam uma severa escassez de alimentos e uma situação alarmante de fome depois de dois anos de conflito no país, afirmaram hoje o Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV), a Federação Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho (FICV) e a Cruz Vermelha do Sudão do Sul.

"Centenas de milhares de sudaneses do sul enfrentam uma escassez crítica de alimentos", afirmou o chefe da delegação do CICV no Sudão do Sul, Juerg Eglin. "O nível de fome é severo. As necessidades médicas são altas. A vida no Sudão do Sul é ao mesmo tempo caótica e perigosa e tentamos ajudar melhorando o acesso a alimentos e assistência à saúde."

Embora um acordo de paz tenha sido assinado, as consequências humanitárias desses dois anos de conflito ainda são extremamente preocupantes. Além das importantes necessidades alimentares, muitas pessoas estão separadas dos seus entes queridos e milhões de outras ainda esperam desesperadamente poder voltar para as suas casas.

Para muitas pessoas no Sudão do Sul, os últimos dois anos foram de uma vida em fuga: buscando alimentos e assistência à saúde e fugindo dos perigos da guerra e da violência sexual.

Junto com o CICV, o Movimento da Cruz Vermelha trabalha para suprir as necessidades humanitárias mais prementes em todo o país. A FICV e a Cruz Vermelha do Sudão do Sul recebem apoio das Sociedades Nacionais da Austrália, Canadá, Dinamarca, Países Baixos, Noruega, Suécia e Suíça.

Este vídeo curto dá uma ideia do nosso trabalho para suprir as necessidades alimentares mais urgentes das pessoas no Sudão do Sul.

__________________________________________________________________________

Nota para os editores:

Por meio de uma série de histórias, vídeos e fotos, o CICV está mostrando este mês como tem sido a vida de muitos sudaneses do sul nos últimos dois anos. Para ressaltar as dificuldades da vida diária das pessoas em fuga no Sudão do Sul, propomos três perguntas que envolvem essas adversidades:

Como você viveria sem alimentos?

No vilarejo de Kolapach, no estado de Jonglei, milhares de pessoas famintas e deslocadas se reuniram. Nyathon Pur, que fugiu da violência na sua cidade natal, Malakal, vive debaixo de uma árvore com os filhos e netos. "Os meus filhos ainda têm muita fome", contou Pur depois de cozinhar os grãos que recebeu em uma distribuição de alimentos que o CICV realizou para 24 mil pessoas. "Mas é para o bem deles. Se eu cozinhar toda a comida agora, eles não vão ter nada para comer amanhã"; B-roll para transmissão pela televisão disponível em www.icrcvideonewsroom.org a partir de 11 de dezembro.

O que você faria se estivesse doente ou ferido e o estabelecimento de saúde estivesse fechado?

O hospital de Kodok ficou entre um fogo cruzado durante um confronto em julho. Duas pessoas foram mortas e 11 pacientes morreram nos dias que sucederam o tiroteio já que os funcionários sudaneses do sul e a equipe cirúrgica do CICV foram obrigados a abandonar o hospital. Apesar de ter um ferimento a bala na perna, o paciente Joseph Deng também teve de fugir. "O ataque foi uma experiência ruim para todos nós, inclusive para os médicos", afirmou. B-roll para transmissão pela televisão disponível em www.icrcvideonewsroom.org a partir de 15 de dezembro.

Para quem você telefonaria se estivesse separado da sua família e tivesse apenas uma ligação de três minutos de duração?

Milhares de pessoas que fugiram da violência se separaram dos seus parentes e perderam o contato com eles. Com o apoio da equipe da Cruz Vermelha do Sudão do Sul e de voluntários de todo o país, o CICV oferece telefonemas breves, mas essenciais, com um aparelho via satélite ou celular para que os familiares possam restabelecer o contato. O fotógrafo Giles Duley documentou esses telefonemas ao montar um estúdio fotográfico no estilo "Faça Você Mesmo" na cidade de Akobo para tirar fotos comoventes de familiares se conectando por telefone. Fotos em alta resolução e texto de fundo disponíveis para salas de imprensa em www.icrc.org a partir de 17 de dezembro.


Mais informações:
Yamila Castro, CICV Juba, tel: + 211 923 158 196 ou 912 360 038 / 954 897 618
Jason Straziuso, CICV Nairóbi, tel: +254 733 622 026
Aurélie Lachant, CICV Genebra, tel: + 41 22 730 22 71 ou +41 79 217 32 17
Marial Mayom, Cruz Vermelha do Sudão do Sul, tel: +211 (0)921115955
Paul Jenkins, Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho (FICV) Juba, tel: +211 (0)912179511

 

Veja também a página especial da campanha:

Sudão do Sul: O caos de uma vida em fuga