Venezuela: CICV aumenta ajuda humanitária

11 abril 2019
Venezuela: CICV aumenta ajuda humanitária

Caracas/Genebra (CICV) – O presidente do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV), Peter Maurer, realizou uma visita de cinco dias à Venezuela, onde a organização busca intensificar a assistência humanitária.

O CICV mais do que duplicou seu orçamento para as operações no país, passando de cerca de 9 milhões de dólares para 24,6 milhões de dólares. Com os recursos financeiros adicionais, a organização ampliará suas ações em quatro questões humanitárias urgentes: migração; saúde; água e saneamento; e detenção.

Recentemente, o CICV assinou um acordo com o Ministério da Saúde para prestar assistência de emergência aos venezuelanos. A organização fornecerá treinamento, água, saneamento e material médico a 28 hospitais e oito centros de atenção primária.

"Durante minha visita, conversei com muitos venezuelanos e vi como eles enfrentam desafios diários com a piora de serviços básicos precários, incluindo o acesso ao atendimento médico", declarou Maurer. "Os hospitais têm dificuldade para contar com abastecimento de água, eletricidade, remédios e pessoal de saúde suficiente. Nossa cooperação e nosso apoio às instituições públicas serão fundamentais para reverter essa tendência."

O presidente do CICV também viajou a Táchira, na fronteira com a Colômbia, e a Bolívar, próxima à fronteira com o Brasil. Conversou com membros da comunidade, migrantes, pessoas afetadas pela violência armada, médicos e pacientes em três hospitais.

Além de seus esforços nas áreas de saúde e assistência aos migrantes, o CICV visitou cerca de 2,5 mil detidos desde o início de 2019, ajudando centenas deles a entrar em contato com os parentes por meio de serviços de restabelecimento de laços familiares.

"Com a minha visita, desejo confirmar e expressar que o CICV está pronto para intensificar as atividades em apoio aos venezuelanos", disse Maurer. "Estou satisfeito com a disposição das autoridades em trabalhar conosco para atender às necessidades humanitárias que identificamos de forma consensual."

O CICV está especialmente preocupado com os altos níveis de violência armada, que afetam pessoas vulneráveis e dificultam seu acesso aos serviços básicos. A organização apoia as comunidades afetadas com a prestação de primeiros socorros.

Muitas pessoas deixam o país em busca de uma vida melhor. Desde o início do ano, o CICV e a Cruz Vermelha da Venezuela ajudaram mais de 6 mil migrantes a retomar o contato com suas famílias por meio de telefonemas.

"Vim à Venezuela para escutar as pessoas, entender suas necessidades e assegurar que a nossa resposta seja importante para elas", afirmou Maurer. "Faremos mais nas próximas semanas e meses. Não se trata apenas deste preciso momento ou da assistência que podemos oferecer. Trata-se de ajudar os venezuelanos a progredir na vida de uma forma sustentável."

O CICV está presente na Venezuela desde 1966, trabalhando em apoio à população ao prestar uma assistência neutra, imparcial e independente.

Mais informações:
Cecilia Goin, CICV Caracas +58 424 137 23 75
Patricia Rey González, CICV Genebra +41 79 218 76 10