Região de Tigray, Axum. Mulher deslocada pelos combates prepara uma refeição. CICV / Alyona Synenko

Etiópia: comunidades em Tigray duramente afetadas pelo aumento dos preços de alimentos e combustível

A atividade comercial na região de Tigray, Etiópia, está sendo prejudicada pela atual crise, que começou com enfrentamentos há nove meses. Nas últimas duas semanas, desde que as transações comerciais foram interrompidas, os preços dos alimentos dispararam. Os bancos em toda a região estão fechados e as pessoas estão ficando sem dinheiro para cobrir as suas necessidades básicas.
Comunicado de imprensa 15 julho 2021 Etiópia

As fábricas estão danificadas ou destruídas. Muitas empresas estão fechadas, deixando as pessoas sem trabalho e afetando a disponibilidade de bens e serviços essenciais — incluindo a assistência à saúde.

A única empresa produtora de oxigênio fechou as portas e os poucos hospitais em funcionamento — sobrecarregados com os encaminhamentos de centros primários de assistência à saúde que deixaram de funcionam — enfrentam escassez ao mesmo tempo em que o país continua encarando a crise causada pela pandemia de Covid-19. Os estabelecimentos de saúde e as estações de tratamento de água também continuam funcionando com geradores, sem fornecimento regular de eletricidade ou combustível na região.

"As pessoas demonstram uma incrível resiliência e solidariedade umas com as outras nesta crise", afirmou o chefe da delegação do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) em Adis Abeba, Nicolas von Arx. "No entanto, as suas reservas e economias se esgotaram. Restaurar a atividade comercial normal e as cadeias de abastecimento também é de vital importância. A ajuda humanitária não pode substituí-las."

Relatório de operações

  • Depois da retomada dos combates em junho, o CICV entregou material médico e equipamentos hospitalares a cinco hospitais nas regiões de Amhara e Tigray: Hospital Geral de Sekota, Hospital Geral de Lalibela, Hospital Universitário de Gondar, Hospital Primário de Aykel e Hospital Universitário de Ayder. Esses suprimentos são suficientes para tratar 250 pessoas feridas em estado crítico ou 900 moderadamente feridas e 3 mil pessoas com outras condições médicas.
  • Além disso, há uma remessa médica para 14 unidades de saúde — tanto de centros primários de assistência à saúde, quanto hospitais — pronta para ser enviada para Mekelle em um comboio para ajudar a atender às necessidades nas áreas rurais.
  • O CICV também prestou assistência financeira para reabilitar a ala do Hospital Geral de Mekelle que atende pacientes de Covd-19, já que os casos continuam aumentando na região e esta é a única unidade de serviço.
  • O CICV começou a reabilitar o hospital Suhul em Shire e o Hospital Shiraro, e doou peças de reposição para a estação de tratamento de água do hospital Ayder, assim como geradores para os hospitais Humera, Dansha e Maikadra.
  • Em colaboração com a Cruz Vermelha Etíope, o CICV continuou fornecendo água com caminhões pipa para apoiar imediatamente as comunidades mais vulneráveis de Tigray. O CICV também continuou doando produtos químicos para estações de tratamento de água, a fim de manter a produção de água segura, já que a estação das chuvas ameaça trazer de volta várias doenças transmitidas pela água.
  • Além disso, a reabilitação de materiais eletromecânicos como bombas, geradores e substituição de filtros está ocorrendo em diferentes partes das regiões de Tigray e Amhara, incluindo a reabilitação e a substituição de bombas manuais.
  • Com o contínuo apagão das redes de comunicação, o CICV continua facilitando telefonemas ou mensagens escritas para restabelecer os laços familiares e ajudar as pessoas dispersas dentro e fora de Tigray a manterem contato com os seus entes queridos. Esses serviços têm sido usados por estudantes de nível universitário, pessoas em risco e membros da população em geral de diferentes partes do país.

Contato para a imprensa:

Florian Seriex, CICV Genebra, fseriex@icrc.org tel: +41 79 574 06 36