Brasil: GloboNews vence Prêmio CICV de Cobertura Humanitária Internacional

Reportagem sobre pessoas desaparecidas publicada pela revista Época e especial sobre o conflito na Síria, exibido pela TV Bandeirantes, ficaram em segundo e terceiro lugar

07 novembro 2019
Brasil: GloboNews vence Prêmio CICV de Cobertura Humanitária Internacional
Mais de 100 pessoas participaram da cerimônia de entrega do Prêmio CICV de Cobertura Humanitária Internacional no dia 6 de novembro, no espaço Reserva Cultural, em São Paulo. Foto: R.Canato/CICV

São Paulo (CICV) – A reportagem "Especial Direitos Humanos – Direito à Nacionalidade", exibida pelo canal de notícias GloboNews venceu a terceira edição do Prêmio CICV de Cobertura Humanitária Internacional. O júri avaliou o material inscrito como pertinente, original ao apresentar um tema complexo de ser abordado e também considerou a sensibilidade e apuro técnico apresentados.

"Prêmios como esse do CICV são fundamentais, porque o jornalismo internacional tem uma particularidade de ser mais caro que as outras modalidades do jornalismo. Então receber esse apoio para ir a campo acompanhar o trabalho da organização e fazer uma reportagem é incrível. Estou super ansioso por essa oportunidade", considerou o jornalista Mário Cajé, representante da equipe vencedora, anunciada na cerimônia em São Paulo nesta quarta-feira à noite.

A premiação para o primeiro colocado é uma viagem custeada e organizada pelo Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) a um país onde a organização é operacional.

Finalistas do Prêmio CICV de Cobertura Humanitária Internacional

Mario Cajé, Domingos Peixoto e Yan Boechat, finalistas do Prêmio CICV de Cobertura Humanitária Internacional (da esquerda para a direita). Foto: R.Canato/CICV

"É isso que buscamos incentivar com este prêmio: que o jornalismo vá cada vez mais além do front e que chegue às vítimas", afirmou a chefe da Delegação do CICV para Argentina, Brasil, Chile, Paraguai e Uruguai, Simone Casabianca-Aeschlimann, no discurso de abertura do evento, com participação de cerca de 100 pessoas, que contou também com uma roda de conversa com os finalistas (Leia aqui o discurso completo da chefe de Delegação do CICV na cerimônia).

A segunda colocação do Prêmio ficou com a reportagem multimídia "Desaparecidos S.A.", da revista Época, sobre pessoas desaparecidas no México. O terceiro lugar foi para a série de reportagens do Yan Boechat sobre os impactos da guerra na população civil da Síria. O material foi exibido pela TV Bandeirantes.

A terceira edição do Prêmio CICV de Cobertura Humanitária Internacional teve 69 inscrições, dentre eles trabalhos de mídia impressa, televisiva, radiofônica e multimídia. O corpo de jurados foi composto pelo jornalista e pesquisador João Batista Natali, o oficial de informação pública do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur), Luiz Fernando Godinho, o coordenador de Relações com a Imprensa de Médicos Sem Fronteiras (MSF), Paulo Braga, e a coordenadora de Comunicação do CICV, Sandra Lefcovich.

A decisão dos finalistas bem como do trabalho vencedor do Prêmio CICV de Cobertura Humanitária Internacional é resultado de um processo de decisão de um corpo de jurados que inclui outras organizações e parceiros e não reflete necessariamente a posição do CICV.

 

Veja aqui os trabalhos finalistas do Prêmio CICV de Cobertura Humanitária Internacional:

1° lugar – Especial Direitos Humanos - Direito à nacionalidade - GloboNews (conteúdo para assinantes da GloboNews Play).
2° lugar – Desaparecidos S.A. - Época.
3° lugar – Estado Islâmico em Queda - TV Bandeirantes (link para o teaser).

Nota aos editores:

Acesse aqui a galeria de fotos da cerimônia de premiação, ocorrida em São Paulo, no espaço Reserva Cultural. O uso das imagens é gratuito, mas solicitamos que sejam creditadas a "Reinaldo Canato/CICV".

Mais informações

Diogo Alcântara, CICV Brasília, T: 61 3106-2384 C: 61 98248-7600 dalcantara@icrc.org

WhatsApp (Inscreva-se para receber avisos de pauta): (61) 98186-2602