Migrantes no posto de triagem em Pacaraima, ao lado do posto de atendimento do CICV.

Brasil: O trabalho do CICV com migrantes

A migração é um fenômeno global e complexo, com causas inúmeras e diversas. Sejam quais forem as razões que os levam a deixar o seu país, os migrantes podem se tornar vulneráveis. Uma das prioridades do CICV no Brasil é ajudar os migrantes.
Artigo 14 fevereiro 2019 Brasil

Depois de uma travessia que pode durar dias, semanas ou até meses, ouvir a voz de um familiar próximo e querido é um alento para o migrante, mesmo que a centenas ou milhares de quilômetros de distância.

Migrante chega ao centro de acolhimento em Pacaraima, Brasil.

Migrante chega ao centro de acolhimento em Pacaraima, Brasil. Foto: V.Moriyama/CICV

Em julho de 2018, o CICV implementou o programa de Restabelecimento de Laços Familiares (RLF) na cidade fronteiriça de Pacaraima, no Norte do Brasil. O serviço RLF é parte de uma resposta regional, realizada em vários paises da América do Sul. O objetivo é ajudar os migrantes, possibilitando que informem sobre seu paradeiro às suas famílias e mantenham contato com seus entes queridos.

"Muitos migrantes chegam ao Brasil sem aparelhos, sem linhas ou sem pacote de dados que permitam ligações ou contatos internacionais", explica Fernando Fornaris, chefe do escritório do CICV em Boa Vista.

O serviço inclui o uso gratuito do telefone durante 3 minutos, de internet para chamadas por WhatsApp ou Facebook e energia para carregar a bateria do celular.

Posto de atendimento do CICV em Pacaraima, Brasil

Migrantes que chegam ao posto de atendimento do cicv têm a oportunidade de falar por telefone com suas famílias. Muitos não têm telefones, e para os que têm, o custo das chamadas é muito alto. O serviço do CICV é gratuito. Foto: V. Moriyama/CICV.

A partir de setembro de 2018, além de oferecer o serviço em três locais nessa cidade, foi estabelecido um posto em Boa Vista, capital do estado de Roraima, onde também começou a funcionar um escritório do CICV. Com a expansão dos serviços a partir de agosto de 2019, o serviço passou a beneficiar mais pessoas, além de estar mais acessível aos migrantes.

Serviços do CICV em Roraima fronteira Brasil Venezuela

Ao todo, são 17 postos de atendimento em Roraima:

Frequência Boa VistaPacaraima
Fixa
Boa Vista: segunda a sexta, das 9h às 17h.
Pacaraima: de domingo a segunda, das 9h às 17h
  • Posto de Triagem (PTRIG)
  • Universidade Federal de Roraima (UFRR)
  • Rodoviária Internacional
  • Posto de Recepção e Identificação (PRI)
  • Posto de Triagem (PTRIG)
Itinerante
Atendimento de duas a três vezes por semana.
  • Cáritas Brasileira
  • Serviço Jesuítas para Migrantes (SJMR)
  • Durante o processo de interiorização
  • Alojamento transitório BV8
  • Pastoral do migrante
Semanal
Uma vez por semana
  • Abrigo Nova Canaã
  • Abrigo Pintolândia
  • Abrigo Jardim Floresta
  • Abrigo São Vicente II
  • Abrigo Tancredo Neves
  • Abrigo Santa Teresa
  • Abrigo Janokoida

 

 No total, já foram feitos mais de 440 mil atendimentos (chamadas telefônicas, acesso à internet, recarga de baterias).

No Brasil, alguns migrantes se tornaram colaboradores do CICV nos postos de Pacaraima e de Boa Vista.

Por motivos diversos, muitos migrantes chegam ao Brasil sem documentação. O CICV facilita o contato com as famílias nos países de origem para localização desses documentos. Uma vez localizada, o CICV facilita o transporte da documentação para o Brasil.

Água e saneamento

Migrantes se beneficiam de obras de saneamento em Pacaraima

Migrantes se beneficiam de obras de saneamento na Igreja Batista de Pacaraima. Foto: B.Mast/CICV.

Melhorar o abastecimento de água e as condições de higiene de algumas comunidades em Roraima têm sido uma das prioridades do CICV no Brasil. Os programas desenvolvidos beneficiam tanto a população migrante quanto a população residente de Pacaraima, na fronteira com a Venezuela.

Migrantes e população local enfrentam desafios pela escassez ou a dificuldade de acesso à água e, por isso, o CICV promove projetos em parcerias a fim de melhorar as condições das comunidades impactadas pelo fluxo migratório. Já foram construídas 13 instalações hidráulicas (poços artesianos, banheiros e duchas) em espaços comunitários que beneficiam mais de 8 mil pessoas diariamente.

Mais de 2,4 mil estudantes e profissionais da Educação foram beneficiados pela construção de poços artesianos nas quatro escolas de Pacaraima. Já o "Café Fraterno", que oferece refeições para migrantes desde 2017, ganhou poços artesianos. "A fome é um dos muitos fatores que nós devemos procurar aliviar, além de saúde e higiene", conta o padre Jesus, à frente da ação. "O CICV iniciou sua ajuda com o fornecimento de dois poços artesianos, porque aqui em Pacaraima o fornecimento de água é um problema", relata.

Outro local beneficiado é a Igreja Batista de Pacaraima. "A equipe do CICV viu a nossa necessidade, o que estávamos precisando, principalmente na parte de higiene", diz o pastor Gideão Ferreira e elogia a construção de um poço artesiano e banheiros comunitários nas instalações da igreja, que oferece alojamento e educação para cerca de 160 famílias e crianças migrantes.

Conheça os principais projetos de água e saneamento conduzidos pelo CICV em Roraima:

A comunidade indígena Tarau Paru recebeu melhorias que beneficiam 600 pessoas. Foto: B.Mast/CICV

Foto: B.Mast/CICV

Comunidade Indígena de Tarau Paru: As obras incluíram a construção de banheiros comunitários, a reforma do posto de saúde e a instalação de uma bomba de água com energia solar, beneficiando mais de 600 pessoas. Até então, o acesso à água não era constante, dependendo do abastecimento de energia e a vazão de água do poço.

A Diocese de Pacaraima recebeu dois poços, banheiros e pias. Foto: B.Mast/CICV

Foto: B.Mast/CICV

Diocese de Pacaraima: Mais de 1000 pessoas beneficiadas.
Desde 2017, a Igreja Católica oferece café da manhã para as pessoas migrantes, o "Café Fraterno".
- Construção de dois poços, banheiros e pias nas instalações.

 Na Igreja Batista de Pacaraima o CICV coordenou a construção de banheiros completos e furou um poço. Foto: B.Mast/CICV

Foto: B.Mast/CICV.

Igreja Batista: A comunidade religiosa abriga mais de 60 famílias nas dependências da igreja. Além disso, 160 crianças frequentam uma escola nos terrenos da igreja. O CICV coordenou a construção de banheiros completos - com chuveiros - e também a perfuração de um poço artesiano. Alguns migrantes que moram no local foram contratados como pedreiros pela empresa que coordenou as obras.

As escolas públicas de Pacaraima receberam poços artesianos com o apoio do CICV. Foto: B.Mast/CICV

Foto: B.Mast/CICV

Escolas de Pacaraima: Mais de 2,4 mil estudantes e profissionais da Educação beneficiados das quatro escolas do município
- Apoio na construção de quatro poços artesianos nas escolas no municipio.
O trabalho foi realizado em colaboração com a Prefeitura de Pacaraima, a Secretaria Estadual de Educação e Desporto de Roraima e o Sexto Batalhão de Engenharia de Construção (6º BEC) do Exército Brasileiro.

+ de 440 mil
atendimentos a migrantes (chamadas telefônicas, acesso à internet, recarga de baterias).