Brasil: recordando os entes queridos desaparecidos

20 abril 2016

Muitas famílias brasileiras ainda lidam com a angústia de não saber o que aconteceu com os seus entes queridos, atendo-se somente às suas lembranças. Em 31 de agosto de 2015, o CICV apoiou uma atividade organizada por algumas das famílias, que se reuniram para compartilhar as suas histórias e se amparar mutuamente.

No Brasil, muitas famílias ainda vivem com a angústia da incerteza. As circunstâncias que envolvem o desaparecimento dos seus entes queridos, durante o regime militar no país (1964-1985), continuam sem esclarecimento, fazendo com que os familiares se perguntem o que aconteceu com eles, sem poder pôr um fim a essa etapa. Para essas famílias, as recordações dos seus entes queridos são tudo o que têm.

Em 31 de agosto de 2015, por ocasião do Dia Internacional dos Desaparecidos, o CICV apoiou a projeção de um filme para contar essas histórias. Foram passados documentários produzidos em colaboração com as famílias sobre as vidas de cinco desaparecidos, seguidos por um debate e uma oficina sobre a situação atual das pessoas desaparecidas no Brasil. Mediante uma conexão por internet, as famílias que não puderam assistir ao evento, realizado em São Paulo, também puderam participar.

Tanto o CICV como as famílias concordaram que o evento foi importante para manter viva a memória dos que desapareceram, assim como para fortalecer a relação entre os familiares que ainda anseiam saber a sorte dos seus entes queridos desaparecidos.

Veja, abaixo, a série de fotos do evento.

Quase 500 exemplares da publicação Viver com a Ausência e o pin do programa Desaparecidos foram distribuídos para conscientizar sobre a questão dos desaparecimentos. Amauri Nehn / CICV

O material do CICV é usado para conscientizar sobre a questão dos desaparecidos, das suas famílias e as necessidades destas, além de lembrar as autoridades das suas obrigações. Amauri Nehn / CICV

Familiares que buscam um parente desaparecido há mais de 40 anos. Amauri Nehn / CICV

Documentário sobre pessoas desaparecidas e a busca da família. Amauri Nehn / CICV

Filha de um desaparecido recita um poema que a mãe costumava declamar ao seu pai. Amauri Nehn / CICV

Familiares de desaparecidos e os funcionários do CICV assistem ao documentário para comemorar o Dia Internacional dos Desaparecidos em 31 de agosto. Amauri Nehn / CICV