CICV busca mais doações de brasileiros para a causa humanitária

12 abril 2016

O Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) tem suas operações financiadas majoritariamente por Estados. A instituição vem buscando diversificar seu financiamento e quer ampliar a proporção de doadores individuais e do setor privado a fim de atender às crescentes necessidades de vítimas de conflitos armados e outras situações de violência em todo o mundo. Nesta entrevista, o responsável por mobilização de recursos do CICV no Brasil, Flávio Franco, explica a importância das contribuições privadas e afirma que o CICV tem boa expectativa de colaboração por parte dos brasileiros.

Responsável por mobilização de recursos do CICV no Brasil, Flávio Franco. CC CICV/B. Radicchi

Como o CICV financia suas operações?

Tradicionalmente, o CICV financia suas operações por meio de doações de Estados e organizações internacionais como a ECHO (Humanitarian Aid and Civil Protection da União Europeia) que representam pelo menos 85% do total –, e o restante vem de outras fontes que incluem o setor privado e as Sociedades Nacionais da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho.

É importante aumentar a proporção de recursos privados? Por quê?

Sim. Aumentar e diversificar nossas fontes de recursos faz com que aumente nossa representatividade da sociedade como um todo, o que nos dá mais legitimidade e segurança para trabalhar nos diferentes contextos. Ao mesmo tempo, somos menos impactados por situações econômicas adversas que podem afetar um ou outro setor. É importante aumentar as doações individuais, e existe um esforço do CICV nesse sentido nos últimos três anos.

Por que o CICV trabalha com atividades de mobilização de recursos no Brasil?

O Brasil é um país com potencial muito grande de apoio e suporte. O Brasil tem uma população de 200 milhões de habitantes, com um grande sentimento de solidariedade.

Existe uma boa expectativa de colaborações por parte dos brasileiros para causas humanitárias?

Sim, claro, existe uma boa vontade das pessoas, e o brasileiro é solidário com causas humanitárias. Recentemente, uma pesquisa feita pelo Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social (IDIS) mostrou que uma das causas pela qual as pessoas não doam no Brasil é porque ninguém pede. O que precisamos é ter um mecanismo adequado para solicitar essas doações.

Quem pode doar para o CICV aqui no Brasil?

Todos podem doar. Pessoas com grandes fortunas, empresas, fundações, entre outros. E nós gostaríamos de, principalmente, ter a adesão de pequenos doadores.
Uma quantidade bastante grande de doadores reforça a nossa independência e neutralidade, permitindo-nos chegar aonde ninguém mais chega para atender as populações civis mais afetadas por conflitos. Ou seja, quanto mais gente nós tivermos doando, apoiando o nosso trabalho, melhor para os nossos beneficiários. Então acreditamos que doadores de pequenas quantias, mas que doem constantemente, mensalmente, várias vezes por ano, são fundamentais para que atingir nossos objetivos.

O CICV presta contas aos doadores sobre o destino dos recursos destinados a suas atividades?

Nós temos informativos sobre quanto dinheiro nós precisamos para cada ação no mundo e um informe anual sobre os recursos que recebemos e as nossas atividades que desenvolvemos. Este informe é uma descrição de como nós atuamos, o quanto de dinheiro foi arrecadado e aplicado, e, principalmente, dos nossos resultados.

Quais contextos são beneficiados pelas doações dos brasileiros? O doador pode escolher para onde enviar sua contribuição financeira?

A cada ano estabelecemos orçamentos para os contextos em que atuamos, com as prioridades definidas de acordo com as necessidades. As doações privadas são colocadas dentro de um grande cesto e usadas com base nas prioridades operacionais estabelecidas de acordo com as necessidades que identificamos em nosso planejamento. Se durante o ano acontecem crises de particular gravidade, uma extensão ao orçamento anual é estabelecida e o CICV faz um apelo para fundos adicionais.

Por que vale a pena doar para o CICV?

Porque estamos falando de uma instituição única no mundo, com mais de 150 anos de existência, que recebeu três prêmios Nobel da Paz. Somos uma organização com um trabalho extremamente importante, com acesso a lugares que outras organizações não têm, justamente em função da nossa neutralidade e independência, do reconhecimento que os países têm do nosso trabalho e do nosso mandato de guardiões das Convenções de Genebra. O doador pode ter a confiança do que vai ser feito, pode ter certeza de que o resultado vai ser bom, pode ter certeza de que milhões pessoas vão ser beneficiadas, e milhões de vidas serão salvas pelo nosso trabalho.

Como doar para o CICV?

A doação é muito importante porque com ela podemos fazer ainda mais. Para doar é muito fácil: basta acessar o nosso link de doações na nossa página na internet.

Receba o boletim do CICV