Foto: Cruz Vermelha Paraguaia

Cooperação garante resposta conjunta e eficiente à Covid-19

Relatório 08 março 2021 Brasil Argentina Chile Paraguai Uruguai
Balanço Humanitário 2020

A pandemia da Covid-19 exigiu das organizações humanitárias um trabalho coordenado, com respostas rápidas e eficientes. No CICV, o trabalho da Cooperação, que já tinha estreita parceria com as Sociedades Nacionais da Cruz Vermelha e a Federação Internacional, transformou este diálogo em um mecanismo ainda mais potente de coordenação de ações e protocolos que foram fundamentais para a efetividade e continuidade do trabalho humanitário nos países cobertos pela Delegação Regional.

"A pandemia nos obrigou a pensar fora da caixa, a pensar questões de soluções que nós não tínhamos, e acabou quase um ano e estamos evidenciando desafios no trabalho diário", explica , responsável pelo trabalho de Cooperação para Argentina, Chile, Paraguai e Uruguai, Laura Miranda. "A gente observou, felizmente, a Cruz Vermelha atuando bem próxima das necessidades que a pandemia criou em cada país", avalia.

Foto: Cruz Vermelha Paraguaia

As Sociedades Nacionais tiveram atuação relevante e com uma dinâmica operacional muito rápida na linha de frente da resposta à pandemia com diversas ações de prevenção, assistência e saúde para auxiliar os poderes públicos . O CICV, por sua vez, oferece assessoria técnica e apoio financeiro à Cruz Vermelha dos cinco países.

Foto: Cruz Vermelha Argentina

Foto: Cruz Vermelha Argentina

"Em geral, o trabalho da Cooperação dentro do Movimento Internacional é justamente um trabalho de médio a longo prazo, porque é o de preparar as Sociedades Nacionais para dar uma resposta em situações de emergência que nós sabemos que podem acontecer, mas que não são de fato no momento. Neste caso (da pandemia), estamos falando de fazer preparação e reajustes constantes. Isso exigiu uma inteligência coletiva muito grande", avalia Laura.

Responsável de Cooperação para o Brasil, Jamile Chequer explica que, no país, o número de atividades conjuntas no terreno aumentou. Assim como na região, se destaca o desenvolvimento da capacidade operacional em um curto espaço de tempo. "E isso aumentou muito o impacto para as pessoas beneficiadas", acredita. A Cruz Vermelha Brasileira (CVB) distribuiu alimentos e kits de prevenção, auxílio na higienização de espaços públicos, apoio a campanhas de vacinação e oferta de apoio psicossocial.

É importante destacar, embora haja momentos mais emergenciais na pandemia devido aos picos da doença, o trabalho do Movimento como um todo não terminou. Estamos todos o tempo todo pensando em como vamos desenvolver resposta humanitária no longo prazo. Nós continuaremos aqui, mesmo com menos atenção da imprensa e dos poderes públicos. As vulnerabilidades não cessaram e não temos outra opção. E nem queremos outra opção, vamos cumprir com a nossa missão

Foto: Cruz Vermelha Uruguaia
Depoimento

Maximiliano Tolaba
Voluntário da Cruz Vermelha Argentina (CRA)

Estou há um ano completo vivendo com as comunidades indígenas, devido a uma declaração de emergência sociosanitária feita em 3 de janeiro de 2020 na província de Salta, no norte da Argentina. Foi quando a Cruz Vermelha Argentina instalou um acampamento base no centro da comunidade. Em toda essa região há seca, então implementamos projetos de água e saneamento e de promoção de higiene. Distribuímos filtros de água e desenvolvemos diferentes linhas de ajuda humanitária, entre elas, de distribuição de alimentos, de entrega de tanques de água e de tratamento de água.

A pandemia trouxe muitas dificuldades em relação ao acesso logístico, à mobilização de voluntários e à entrega de insumos. Uma ação simples como ir ao supermercado mudou radicalmente. Mas a gente foi se adaptando aos poucos.

Tivemos que adaptar a linguagem, porque essas comunidades falam três idiomas: o quéchua, o toba e o guarani. Por isso, desenvolvemos materiais adaptados para elas, e isso nos aproximou muito. Então, chegar a algumas dessas comunidades hoje e ver a distribuição de água e a limpeza é gratificante. Assim é possível perceber muito bem o trabalho que desenvolvemos, mesmo num período tão difícil.