Problemas de saúde mental aumentam devido à COVID-19

Uma crise dentro de uma crise: problemas de saúde mental aumentam devido à COVID-19

Hoje, o Movimento Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho lançou um novo relatório que detalha a escalada do estresse psicológico causado pela pandemia de COVID-19 e apresenta as ações críticas necessárias para abordar o que se tornou uma crise dentro de uma crise.
Artigo 06 outubro 2020

"A maior necessidade era ser ouvido: a importância de adaptar a saúde mental e apoio psicossocial durante a COVID-19" é um novo relatório dos especialistas em saúde mental da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho que reúne percepções e recomendações obtidas da experiência nos últimos seis meses, para ajudar outros profissionais, governos e organizações da comunidade a responder às crescentes necessidades.

Nele é transmitida a importância deste serviço de saúde para ajudar as pessoas afetadas por condições de saúde mental, suas comunidades e a sociedade como um todo.

Exacerbação das necessidades de saúde mental nas comunidades afetadas por conflitos

A COVID-19 está criando necessidades históricas de saúde mental e apoio psicossocial – para vítimas do vírus, suas famílias, profissionais de saúde e outros que estão respondendo ao surto, e para o público em geral. Esta situação exacerbou o estresse psicológico de milhares de pessoas.

As restrições de bloqueio, a falta de interação social e o agravamento dos desafios econômicos estão causando um impacto na saúde mental das pessoas e no acesso aos cuidados.

O aumento do estresse psicológico que sentem as comunidades em todo o mundo se torna evidente em uma recente pesquisa realizada pela Ipsos para o CICV em sete países. As principais descobertas indicam que:

Entre os adultos, 51% percebe que a COVID-19 afetou negativamente sua saúde mental.

  • Quase dois terços da população em sete países concordam que cuidar da saúde mental e física se tornou mais importante agora do que antes da crise da COVID-19.
  • Quase três em cada quatro pessoas acreditam que os socorristas e os trabalhadores na linha de frente da COVID-19 têm mais necessidades de apoio à saúde mental do que um indivíduo comum na população.

Desde o início da pandemia, o CICV experimentou uma demanda crescente de apoio das equipes de resposta na linha de frente em todo o mundo: equipes médicas, voluntários, professores, assistentes sociais, coletores de cadáveres, líderes comunitários e muitos mais que continuam se esforçando para apoiar os outros.

As dificuldades associadas a suas funções agravam suas próprias preocupações e necessidades individuais e sociais. É importante fornecer apoio à saúde mental e o bem-estar desses colaboradores; pois isso garantirá que eles possam continuar cuidando adequadamente dos outros.

Devemos investir em cuidados de saúde mental

O apoio à saúde mental deve ser incluído na primeira fase das emergências humanitárias, incluindo a resposta à pandemia, como um componente integral dos sistemas nacionais e internacionais de resposta de emergência. Os Estados e as principais partes interessadas devem fazer um esforço para apoiar os sistemas de saúde por meio de financiamento, pessoal, instalações, EPI, e a integração da saúde mental e o apoio psicossocial nas estratégias de saúde nacionais, para garantir que as necessidades de saúde mental e apoio psicossocial sejam atendidas de forma adequada e sem demora.