Brasil: Fortaleza apresentará boas práticas para limitar o impacto da violência na saúde

Brasil: Fortaleza apresentará boas práticas para limitar o impacto da violência na saúde

Evento reunirá gestores da capital cearense bem como das cidades de Chicago (Estados Unidos) e Karachi (Paquistão) para intercâmbio de experiências
Comunicado de imprensa 28 maio 2021 Brasil

Brasília (CICV) – A violência armada tem uma série de impactos nas cidades. Entre eles, pode atingir instalações e profissionais de saúde, afetando toda a comunidade, prejudicando o acesso aos serviços de saúde dos moradores da cidade. Buscando soluções e para fomentar a troca de experiências exitosas, o Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV), em parceria com Cidades Unidas e Governos Locais (UCLG, por suas siglas em inglês) e Geneva Cities Hub (GCH), organiza nesta próxima terça-feira (1°) o evento on-line Violência Urbana & Proteção dos Serviços de Saúde nas Cidades.

Com discurso de abertura do vice-presidente do CICV, Gilles Carbonnier, e do perfeito de Genebra (Suíça), Sami Kanaan, o evento contará com palestra do prefeito de Fortaleza (CE), José Sarto, e também autoridades de saúde e violência das cidades de Chicago (EUA) e Karachi (Paquistão), parceiras nessa iniciativa. Os gestores apresentarão suas experiências e compartilharão boas práticas para limitar as consequências da violência armada nos serviços de saúde, com foco no respeito e na ampliação do acesso a esse serviço essencial por toda a comunidade.

O evento online será transmitido a partir das 10h (horário de Brasília) de maneira gratuita e aberto ao público interessado. Para participar, é necessário fazer uma inscrição neste endereço eletrônico.

Serviço:
Evento online: Violência Urbana & Proteção dos Serviços de Saúde nas Cidades
Data: 1° de junho
Horário: 10h (horário de Brasília)
Inscrições gratuitas aqui.

Profissionais de serviços públicos essenciais recebem treinamento em Fortaleza (CE)
(atividade realizada antes da pandemia de covid-19) foto: m. Cruppe/cicv


Sobre Assistência à Saúde em Perigo

Desde 2016, o CICV já contabilizou 3.780 incidentes de violência contra ambulâncias, hospitais e profissionais de saúde. Nem todos ocorreram em zonas de guerra, mas em cidades que vivem uma situação de violência armada. Com a pandemia de Covid-19, tanto profissionais como instalações de saúde também têm sido alvo de ataques, muitas vezes por raiva ou frustração da comunidade em relação à resposta ao surto no novo coronavírus. Na avaliação do CICV, não importa a situação, os serviços de saúde devem sempre ser respeitados. Conheça a iniciativa Assistência à Saúde em Perigo.

Sobre a metodologia Acesso mais Seguro e a parceria do CICV com Fortaleza

Fortaleza é um dos sete municípios brasileiros onde a metodologia Acesso Mais Seguro (AMS) para Serviços Públicos Essenciais é implementada. A rede também é integrada por Duque de Caxias/RJ, Florianópolis/SC, Porto Alegre/RS, Rio de Janeiro/RJ, Vila Velha/ES e, mais recentemente, por São Paulo/SP.

Em 2018, foi assinado o primeiro acordo de cooperação entre o CICV e a Prefeitura de Fortaleza. Desde então, a metodologia AMS foi implementada nas Secretarias Municipais de Saúde (SMS), Educação (SME), Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SDHDS) e na Coordenadoria Especial de Política Pública de Juventude (CEPPJ). Em 2020 foi assinado um novo acordo até 2022.

Na capital cearense, 96% das Unidades Básicas de Saúde receberam treinamento da metodologia, beneficiando diretamente 1,2 milhão de pessoas. São 35 profissionais multiplicadores, tendo 619 profissionais treinados.

"As consequências da violência vão muito além de uma vítima de arma de fogo, por exemplo. Quando uma escola é fechada, afeta a educação de milhares de crianças, ou quando é uma unidade de saúde, deixamos de atender a população. Tudo isso também é impacto direto da violência na vida das pessoas", observa o chefe do escritório do CICV em Fortaleza, Eliott Wood. Conheça a campanha Valorize o Essencial.

Sobre o CICV

O Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) é uma organização humanitária internacional com mais de 150 anos de tradição e presença em mais de 100 países, incluindo o Brasil. A missão da instituição é levar proteção e assistência a vítimas de conflitos armados e violência armada. Leia mais em www.cicv.org.br 

 

Mais informações
Sandra Lefcovich, CICV Brasília, (61) 98175-1599, slefcovich@icrc.org