Princípios Fundamentais: ontem, hoje e amanhã

07 outubro 2015

No dia 8 de outubro, o Movimento celebra o aniversário de 50 anos dos Princípios Fundamentais em ação.

Humanidade, Imparcialidade, Neutralidade, Independência, Voluntariado, Unidade e Universalidade: os Princípios Fundamentais são o alicerce do compromisso do Movimento para atender as pessoas e comunidades vulneráveis afetadas por conflitos ou desastres.

Desde que foram adotados em 1965, o cenário humanitário mudou e as necessidades das comunidades se tornaram mais complexas. No entanto, a necessidade de haver Princípios Fundamentais e a sua relevância continuam as mesmas.

Humanidade

Um menino entrega um creme facial distribuído pela Cruz Vermelha à sua mãe. © FICV / John Engedal Nissen

Os voluntários da Cruz Vermelha continuam prestando assistência a milhares de pessoas que atravessam a fronteira para a Sérvia em Tabanovce. Eles distribuem água, alimentos, artigos de higiene e prestam atendimento médico. Por meio do seu trabalho solidário, os voluntários também dão esperança.

Imparcialidade

Na Síria, o Crescente Vermelho Árabe Sírio e o CICV atravessam linhas de frente para ajudar as pessoas que mais necessitam. CC BY-NC-ND / CICV / Niki Clark

 

Na Síria, o Crescente Vermelho Árabe Sírio e o CICV atravessam linhas de frente para levar ajuda com imparcialidade a todas as pessoas afetadas pelo conflito, independentemente de quem sejam.  Em cidades como Aleppo, os voluntários do Crescente Vermelho Árabe Sírio ajudam com imparcialidade e dedicação milhares de pessoas todos os meses.

Neutralidade

As equipes móveis de cirurgiões do CICV fornecem acesso à assistência à saúde às pessoas afetadas pelo conflito nos dois lados da linha de frente no Sudão do Sul. CC BY-NC-ND / CICV

No Sudão do Sul, as equipes do CICV facilitam a evacuação de feridos em ambos os lados da linha de frente e lhes proporciona assistência médica e cirúrgica emergencial às pessoas afetadas pelo conflito. Desde dezembro de 2013, mais de seis mil cirurgias emergenciais foram realizadas em todo o país.

Manter-se neutro é crucial para ser aceito por todas as partes e poder realizar o trabalho humanitário, fora do debate político.

Independência

A Cruz Vermelha do Mianmar distribui artigos básicos às comunidade afetadas pelas inundações próximas a Mrauk-U township. CC BY-NC-ND / CICV / Oscar Susanto

 

Mais de um milhão de pessoas foram afetadas pelas inundações no Mianmar em julho de 2015, obrigando a muitas delas a deixarem as suas casas e buscar refúgio. A Cruz Vermelha do Mianmar, que apoia os serviços humanitários do governo desse país ao mesmo tempo em que mantém a sua autonomia e independência, prestou assistência crucial a toda a população afetada. Após realizar as suas próprias avaliações de necessidades, a Sociedade Nacional distribuiu artigos básicos como arroz, cobertores, esteiras e luminárias aos necessitados.

A ação humanitária independente é vital para conquistar aceitação e acesso às comunidades afetadas.

Voluntariado

Voluntários da Cruz Vermelha fornecem atendimento básico a migrantes na Macedônia. © Cruz Vermelha Dinamarquesa / John Engedal Nissen

Suzana Georgievska é a única médica na sua equipe da Cruz Vermelha que assiste migrantes em trânsito que passam pela Macedônia até o seu destino final. "Basicamente, realizamos 200 a 300 intervenções por dia. Para alguns deles, isso salva as suas vidas. Para outros, simplesmente facilita seguir viagem".

Sobre a sua experiência, ela diz: "Me sinto útil. A nossa ajuda significa muito para eles e também para nós, que podemos ajudar nessa situação".

Unidade

Voluntários e funcionários da Cruz Vermelha respondem às necessidades dos migrantes em situação de vulnerabilidade que chegam à Grécia. © FICV / Stephen Ryan 

Cerca de 320 mil pessoas chegaram às praias da Grécia este ano. A Cruz Vermelha da Grécia responde às necessidades dos migrantes em situação de vulnerabilidade em muitas ilhas próximas à costa da Turquia, assim como no continente. Ao trabalhar em todo o país, a Cruz Vermelha da Grécia garante que as pessoas recebam assistência que vai além do momento da chegada.

 

Universalidade

O CICV e as Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho trabalham juntos para restabelecer os laços entre parentes separados por conflitos ou desastres. © FICV

A caminhos dos Estados Unidos (EUA), Manuel foi roubado e perdeu todas as informações para entrar em contato com a sua família. Uma vez no destino final, graças à colaboração entre a Cruz Vermelha Americana e a Cruz Vermelha Hondurenha, ele pôde telefonar para a sua família para avisar que estavam bem e a salvo. Também pode entrar em contato com a tia que morava nos EUA, podendo assim ir viver com ela.

Receba o boletim do CICV