Sudão do Sul: ciclos recorrentes de violência geram mais instabilidade

24 fevereiro 2017

O conflito armado no Sudão do Sul obriga milhões de pessoas a abandonar repetidamente as suas casas, deixando para trás tudo o que têm.

Mulheres, crianças e idosos têm de viver em zonas pantanosas remotas, às vezes durante meses, comendo apenas frutas selvagens. Quando finalmente voltam para casa, as constantes pilhagens muitas vezes tornam impossível a recuperação. Deslocamentos recorrentes, falta de respeito pelos civis e os seus bens, mercados e fluxos de comércio interrompidos pelo conflito armado – tudo levou, gradualmente, às consequências catastróficas para as pessoas e o país.

 

Receba o boletim do CICV