Brasil: História de Mandela inspira atividades artísticas em unidades prisionais do Ceará

Brasil: História de Mandela inspira atividades artísticas em unidades prisionais do Ceará

Pessoas privadas de liberdade do Instituto Penal Feminino Auri Moura Costa (IPF) e da Unidade Prisional Irmã Imelda Lima Pontes participaram de oficinas de cordel e pintura em stencil
Artigo 01 julho 2022 Brasil

"Isso aqui pra gente é uma forma de mudança, de aprendizado. Para quem vive dentro de uma cela, isso faz toda a diferença", relatou uma interna após participar de uma das oficinas da Campanha Mandela, ação promovida pelo Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) em parceria com a Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) do Ceará.

As atividades consistiram em uma oficina de cordel e outra de pintura em stencil, onde o público pode aprender algumas técnicas e orientações para desenvolvimento das duas formas de arte. Durante a oficina de cordel, a cordelista Julie Oliveira repassou técnicas de rima, métrica e oração para a composição de textos e os participantes puderam se expressar e criar alguns versos com o auxílio da autora.

Internas do IPF criam versos de cordel inspirados em Mandela durante oficina. Foto: C. de Almeida/CICV

"O cordel é literatura local, uma forma de expressão. É importante para as pessoas privadas de liberdade se sentirem representadas com essa atividade", explicou o chefe do escritório do CICV em Fortaleza, Mario Guttilla.

Na opinião da cordelista Julie Oliveira, a oportunidade reforçou a ideia de criação em coletividade. "Na hora em que o CICV escolhe trazer o cordel, a pessoa acolhe de uma forma diferente. O cordel fez uma diferença completa na compreensão da mensagem", opinou. Com os materiais produzidos pelos internos e internas, a autora irá criar um cordel completo inspirado em Nelson Mandela, que será lançado em 18 de julho, Dia Internacional de Nelson Mandela.

Literatura de cordel é uma manifestação literária popular do nordeste brasileiro. É um gênero literário feito em versos com métrica e rima.

Mãos à obra

Além das oficinas de cordel, as pessoas privadas de liberdade também participaram de oficinas de pintura em stencil com spray, com apoio da artista Ceci Shiki. Nas duas unidades prisionais, os internos e internas pintaram coletivamente um mural com frases emblemáticas de Nelson Mandela, espaço que agora faz parte da ambientação dos locais.

Na Unidade Prisional Irmã Imelda, além das frases de Mandela, também foi pintada uma parede nas cores da bandeira LGBTQIA+. Foto: C. de Almeida

Para os participantes, as atividades são inspiradoras e promovem a oportunidade de mudança dentro da unidade prisional. "Quando a minha filha chegar pra me visitar, eu vou mostrar que pintei uma palavra (do muro) e ela vai ficar muito emocionada", relatou uma interna.

A coordenadora do programa em favor das Pessoas Privadas de Liberdade do CICV, Patrícia Badke, explica que o objetivo principal da campanha é que sejam promovidos princípios e boas práticas, além de propor o conhecimento, o desenvolvimento e uma melhoria no sistema prisional como um todo.

Pessoas privadas de liberdade aprenderam técnicas em stencil para pintar frases de Nelson Mandela. Foto: C. de Almeida/CICV

Além das atividades artísticas, a Campanha Mandela também promoveu uma formação sobre as Regras Mínimas das Nações Unidas para o Tratamento de Presos (Regras de Mandela) para policiais penais da SAP-CE, além de realizar doação de livros sobre Mandela para as unidades prisionais e uma ação de difusão sobre o trabalho do CICV e a jornada de Nelson Mandela como um marco prisional.

Saiba mais sobre as ações do CICV no marco da Campanha Mandela

CICV realiza workshop sobre Regras de Mandela para profissionais penitenciários do Ceará
Publicação: Quem foi Nelson Mandela? Conheça sua história
Galeria: Um conto sobre Mandela
Brasil: CICV promove ações que valorizam a dignidade em presídios do Ceará