Fórum Urbano Mundial: Fortaleza apresenta experiência de resposta à violência em serviços públicos

Em parceria com o Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV), Fortaleza é uma das cidades que implementa a metodologia Acesso Mais Seguro(AMS), para prevenir e mitigar os efeitos da violência armada em serviços públicos essenciais

10 fevereiro 2020
Fórum Urbano Mundial: Fortaleza apresenta experiência de resposta à violência em serviços públicos
Foto M.Cruppe/CICV

Brasília (CICV) – Representantes de prefeituras e especialistas se reunirão nesta terça-feira (11) em um painel para discutir sobre a relação entre a violência urbana e a oferta e o acesso ao infraestruturas e serviços, como saúde e educação. O evento é paralelo ao Fórum Urbano Mundial, sediado neste ano em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos.

O painel "Acesso às Infraestruturas e Serviços no contexto de Violência Urbana" é organizado pelo Comitê Internacional da Cruz Vermelha e pela British Academy. A discussão será mediada pela professora Caroline Knowles e conta com exposições da Secretária Patrícia de Macêdo (Fortaleza), Paola Forgione (CICV), Iftikhar Ali Shallwani (Prefeitura de Karachi, Paquistão) e Kieran Mitton (King's College).

Fortaleza (CE) é um dos seis municípios brasileiros onde a metodologia Acesso Mais Seguro (AMS) para Serviços Públicos Essenciais é implementada. A rede também é composta por Duque de Caxias (RJ), Florianópolis (SC), Porto Alegre (RS), Rio de Janeiro (RJ) e, mais recentemente, Vila Velha (ES). No total, o programa pode ter beneficiado mais de 5 milhões de pessoas, com quase 900 unidades de serviço treinadas nessa metodologia.

"As consequências da violência vão muito além de uma vítima de arma de fogo, por exemplo. Quando uma escola é fechada, afetando a educação de milhares de crianças, ou quando uma unidade de saúde deixa de atender a população... Tudo isso também é impacto direto da violência na vida das pessoas", observa a chefe do escritório do CICV em Fortaleza, Valentina Torricelli.

No Brasil, o trabalho de implementação do AMS é feito em parceria com os governos e autoridades municipais. Desde 2017, mais de 20 mil profissionais de Saúde, Educação e Assistência Social já foram treinados na metodologia Acesso Mais Seguro. Estima-se que mais de 5 milhões de pessoas tenham sido beneficiadas entre 2017 e 2019.

A secretária Patrícia de Macêdo, da Coordenadoria Especial de Assuntos Internacionais e Federativos da Prefeitura de Fortaleza, vai apresentar os resultados da implementação da metodologia Acesso Mais Seguro em Fortaleza durante a discussão. Na capital cearense, 88% das unidades básicas de saúde receberam treinamento na metodologia, beneficiando diretamente a 1,5 milhão de pessoas.

"A intenção da Prefeitura de Fortaleza é não só garantir às pessoas que vivem em áreas de vulnerabilidade social o acesso aos serviços essenciais – notadamente educação e saúde, mas também garantir a segurança dos profissionais que oferecem esse tipo trabalho. O treinamento por meio da metodologia Acesso mais Seguro cuida de quem cuida, e essa é uma orientação que a Prefeitura de Fortaleza vem seguindo, com o suporte efetivo e eficiente do CICV, que tem a mais vasta expertise no assunto", afirma Patrícia.

Conheça alguns testemunhos de profissionais que foram capacitados com a metodologia Acesso Mais Seguro (AMS) para Serviços Públicos Essenciais:

Nota aos editores:

• Leia mais aqui sobre a metodologia Acesso Mais Seguro (AMS) para Serviços Públicos Essenciais.

• Acesse aqui o site oficial da 10ª Sessão do Fórum Urbano Mundial.

• Cadastre-se no WhatsApp do Departamento de Comunicação do CICV para receber fotos e aspas no dia do evento. Envie a palavra "Cadastro" por WhatsApp para (61) 98186-2602.

Mais informações

Diogo Alcântara, CICV Brasília, dalcantara@icrc.org, (61) 98248-7600
Cibele Leite, CERIF/Prefeitura de Fortaleza, cibele.leite@fortaleza.ce.gov.br,
(85) 99965-1300