Moçambique: CICV abre nova delegação para responder às crescentes necessidades

Moçambique: CICV abre nova delegação para responder às crescentes necessidades

O Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) amplia as suas atividades em Moçambique para responder às consequências do conflito armado na província de Cabo Delgado, com foco na melhoria da assistência à saúde e do acesso à água para a população.
Artigo 30 junho 2021 Moçambique

O CICV está presente em Moçambique há mais de 40 anos, desde a década de 1970, quando iniciou as atividades no país.

Guerra civil

Durante a guerra civil no país, que durou de 16 anos, o CICV ajudou a população afetada mediante a distribuição de gêneros alimentícios e não alimentícios essenciais, o restabelecimento dos laços familiares e o acesso aos serviços de saúde. Após o fim da guerra civil, Moçambique foi um dos países mais contaminados por minas do mundo e, como tal, no final da década de 1980, o CICV estabeleceu um programa de reabilitação e ajudou na desminagem de grande parte das províncias centrais com o apoio de especialistas em descontaminação por armas.

Ciclones Idai e Kenneth

O CICV também ajudou a população afetada pelos ciclones Idai e Kenneth, que devastaram diferentes partes das regiões centro e norte em 2019. Em cooperação com diferentes parceiros do Movimento, o CICV apoiou as pessoas na reconstrução dos seus meios de subsistência e na reabilitação de infraestruturas de saúde e água.

Famílias deslocadas de Palma recém-chegadas à ilha Matemo, Cabo Delgado, Moçambique.
Famílias deslocadas de Palma recém-chegadas à ilha Matemo, Cabo Delgado, Moçambique. CICV

Crise humanitária em Cabo Delgado

Atualmente, o CICV concentra o seu apoio em Cabo Delgado, no norte de Moçambique, devido a uma grave crise humanitária que ocorre desde a escalada do conflito armado em 2020 e aos ataques violentos na cidade de Palma no início deste ano. Casas foram totalmente incendiadas; escolas e centros de saúde, saqueados e destruídos; terras agrícolas, abandonadas. Centenas de pessoas foram mortas, feridas e milhares de outras foram separadas dos seus entes queridos. Somente em Palma, pelo menos 60 mil pessoas fugiram após os ataques armados e milhares de outras ainda ficaram para trás e estão desaparecidas. No geral, estima-se que mais de 800 mil pessoas foram deslocadas desde o início dos combates em Cabo Delgado no final de 2017.

Melhoras na assistência à saúde e no acesso à água

Em 2021, o CICV ampliou a sua resposta humanitária para as pessoas afetadas pelo conflito com melhor acesso à saúde e à água por meio da reabilitação e construção de vários centros de saúde, incluindo melhores sistemas de distribuição de água e novas bombas hidráulicas. A assistência continuará com enfoque nas populações deslocadas em situação de vulnerabilidade e nas comunidades que as acolhem, tanto no continente (Montepuez, Pemba) como nas ilhas do Ibo, Quirambo e Matemo. O CICV planeja reabilitar e construir outras unidades de saúde, incluindo um novo centro de saúde na ilha de Ibo, o único que atende o arquipélago, que também será equipado, e reforçar as capacidades da equipe médica e dos serviços de saúde provinciais.

Também está previsto construir ou consertar bombas manuais nas ilhas Matemo e Quirambo, assim como perfurar vários poços de água adicionais para melhorar o acesso à água potável para as novas pessoas deslocadas e comunidades que as acolhem. Em parceria com o município de Montepuez, o CICV apoiará a criação de um novo sistema de distribuição de água para ajudar a atender às crescentes necessidades de abastecimento da cidade. O apoio aos meios de subsistência também continuará, mediante a distribuição regular gêneros não alimentícios e do seu programa social financeiro voltado para famílias em situação de vulnerabilidade. Além disso, a nova delegação manterá as suas atividades voltadas para a proteção da população civil, incluindo visitas às pessoas detidas, o trabalho de restabelecimento de laços familiares e de promoção do respeito ao Direito Internacional Humanitário (DIH) pelas partes em conflito.

Para responder melhor às crescentes necessidades humanitárias na província, a missão do CICV em Moçambique se tornará uma nova delegação a partir de 1º de julho deste ano. A delegação ficará localizada em Maputo, capital de Moçambique, e terá uma subdelegação em Pemba, Cabo Delgado.