Mostra fotográfica traz registros do CICV e do fotógrafo suíço Jean Mohr de atuação humanitária

11 setembro 2015
Mostra fotográfica traz registros do CICV e do fotógrafo suíço Jean Mohr de atuação humanitária
As fotos de Jean Mohr foram expostas em várias cidades do mundo. Mais recentemente, alguns de seus trabalhos foram apresentados no Memorial da Paz de Hiroshima, no Japão, e no Musée de l'Elysée, em Lausanne, Suíça.

Brasília (CICV) - De 14 de setembro a 4 de outubro, a Embaixada da Suíça no Brasil e o Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) realizam a mostra fotográfica "Junto às vítimas: A Suíça humanitária e o Comitê Internacional da Cruz Vermelha", no Museu Nacional do Conjunto Cultural da República, em Brasília. A exposição reúne registros realizados pelo fotógrafo suíço Jean Mohr e dos 150 anos de atuação do CICV pelo mundo.

Dividida em duas partes, a exposição ocupará a área externa do museu com painéis iluminados à noite, com imagens realizadas pelo fotógrafo suíço Jean Mohr, que retratou com olhar humanitário a situação das vítimas de conflitos armados no mundo, e, na Galeria Térreo, com imagens das ações humanitárias realizadas pelo CICV ao longo de mais de 150 anos de atuação. Com entrada gratuita e livre para todos os públicos, a mostra fica aberta à visitação de terça a domingo, das 9h às 18h30, para a área interna, e 24 horas, na área externa. A programação conta ainda com exibição de filmes, projeção de fotos e visitas guiadas para estudantes.

A mostra, pertencente ao acervo do Musée de l'Elysée, Lausanne, Suíça, já passou por diversas cidades no mundo e será exibida pela primeira vez no Brasil, em Brasília. São 40 fotos em preto e branco, instaladas em grandes tótens de alumínio que armazenam a luz solar para iluminar as imagens à noite, que ocuparão a área externa do Museu. "É um grande prazer para a Embaixada da Suíça organizar este projeto, que reúne, pela primeira vez, o trabalho comovente do fotógrafo suíço Jean Mohr e uma exposição da ação humanitária do CICV. Esta mostra fotográfica representa uma ótima ocasião para enfatizar a importância dos valores humanitários, que são de grande significado para a Suíça", afirma o embaixador da Suíça no Brasil, André Regli.

Na Galeria Térreo do Museu Nacional da República, 60 fotografias históricas e vídeos contam mais de 150 anos de ação humanitária do CICV ao redor do mundo. A mostra apresenta os conceitos-chave do CICV e seu trabalho de assistência e proteção à vida e à dignidade das vítimas de conflitos armados e outras situações de violência. "Esta exposição traz ao público brasileiro um pouco do trabalho humanitário desenvolvido pelo Comitê Internacional da Cruz Vermelha em muitos países de todos os continentes, com a missão de oferecer proteção e assistência a vítimas de conflitos e outras situações de violência", afirma o chefe da Delegação Regional do CICV para Argentina, Brasil, Chile, Paraguai e Uruguai, Lorenzo Caraffi. "São mais de 150 anos de atuação de uma instituição que não faz distinção de vítimas, e que leva em consideração unicamente sua condição de ser humano", completa.

Durante o período da mostra, os visitantes serão convidados a participar de atividades que destacam a dimensão do trabalho humanitário da Suíça e do CICV. Mediadores culturais (universitários e voluntários da Cruz Vermelha Brasileira (CVB)) realizarão visitas guiadas à mostra "Junto às vítimas" com foco no papel do Comitê na proteção e assistência de vítimas de conflitos armados e também na defesa, por parte da Suíça, da construção de políticas públicas internacionais visando à construção de uma cultura de respeito aos direitos humanos.

Sobre Jean Mohr

Observador, preciso, realista, moderado, calmo e tranquilizador. Essas qualidades permitiram ao fotógrafo Jean Mohr desenvolver um estilo clássico que é ao mesmo tempo simples e modesto. Numa época em que certas crises tendem a produzir uma torrente de reportagens humanitárias, sua contenção é ainda mais notável. Nascido em 13 de setembro de 1925, em Genebra, Suíça, criado e educado em Genebra, formou-se em administração. Filho de alemães oponentes do nazismo, seus pais receberam a cidadania suíça em 1939. No final dos anos 1940, passa a trabalhar como delegado do CICV para o Oriente Médio. A partir da década de 1950, dedica-se à fotografia e publica seus primeiros trabalhos. Suas fotos foram expostas em várias cidades do mundo. Mais recentemente, alguns de seus trabalhos foram apresentados no Memorial da Paz de Hiroshima, no Japão, e no Musée de l'Elysée, em Lausanne, Suíça.

Mais informações:

Sandra Lefcovich, Coordenadora de Comunicação, CICV, Brasília: (61) 3106-2350 ou 81751599 slefcovich@icrc.org
Diogo Alcântara, Assessor de Comunicação, CICV, Brasília: (61) 3106-2384 dalcantara@icrc.org
Niculin Jäger, Ministro da Embaixada da Suíça no Brasil, Brasília: (61) 3443-5500 niculin.jaeger@eda.admin.ch

 

 

Receba o boletim do CICV