Prêmio Florence Nightingale: por que a medalha de 2020 é especial

12 maio 2020

Genebra (CICV) – Em 12 de maio de 2020, marcamos o 200º aniversário do nascimento de Florence Nightingale. A Assembleia Mundial da Saúde designou 2020 como o Ano Internacional do Enfermeiro e da Parteira, que muitas vezes são o primeiro e único ponto de atendimento em suas comunidades.

Nessa ocasião, a Comissão da Medalha Florence Nightingale decidiu outorgar uma medalha Florence Nightingale coletiva e global, dedicada a todos os enfermeiros e parteiras do mundo privados de liberdade por causa de seu compromisso humanitário. Ao contrário do tradicional prêmio da medalha, esse reconhecimento não será individual, mas coletivo e não nominativo.

Tal reconhecimento será dedicado a todos os enfermeiros e parteiras que enfrentam uma situação tão difícil, seja qual for seu envolvimento com o Movimento Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho, ou fora dele.

Esse prêmio especial da medalha Florence Nightingale também está relacionado à Assistência à Saúde em Perigo, uma iniciativa do Movimento Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho destinada a abordar o problema da violência contra pacientes, profissionais de saúde, estabelecimentos e veículos, e a garantir o acesso seguro e a prestação de assistência à saúde em conflitos armados e outras emergências.

Quem foi Florence Nightingale?

Nascida em 12 de maio de 1820 em uma família rica britânica, Nightingale se afastou dos padrões sociais da época para abraçar a carreira de enfermagem. Com uma vida dedicada ao cuidado dos doentes e feridos, ela logo se comprometeria a reformar toda a profissão de enfermagem, numa época em que o trabalho hospitalar ainda era considerado uma ocupação de segunda classe para mulheres sem instrução e empobrecidas. Nomeada pelo Departamento de Guerra Britânico em 1853, ela levou um grupo de 38 enfermeiras para Scutari, perto de Istambul, para cuidar dos soldados feridos na Guerra da Crimeia.

O custo humano causado pelo saneamento precário e a falta de cuidados adequados em Scutari foi terrível. Superando a resistência dos médicos e oficiais presentes, Nightingale tomou a iniciativa de reformar o hospital militar, projetado com sua liderança bem conhecida, senso de organização e determinação.

Depois do seu retorno à Inglaterra, Nightingale dedicou o resto de sua vida a reformar a gestão hospitalar, a reorganizar os serviços médicos militares britânicos e a melhorar a educação dos enfermeiros. Seus escritos visionários enfatizam a importância da prevenção, higiene e treinamento profissional.

O que é a medalha Florence Nightingale?

Em homenagem a Nightingale, o Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) criou a Medalha Florence Nightingale, em 1912, tal como sugerido pelo Conselho de Delegados durante a Oitava Conferência Internacional da Cruz Vermelha. A medalha, a maior distinção internacional para profissionais de enfermagem, é outorgada a cada dois anos a enfermeiros destacados apresentados pelas Sociedades Nacionais da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho. É um reconhecimento à dedicação e coragem excepcionais no cuidado de feridos e doentes, bem como às contribuições fundamentais para os campos da prevenção, da saúde pública ou da educação em enfermagem.

A Comissão da Medalha Florence Nightingale compreende vários membros e funcionários do CICV, muitos dos quais são profissionais de enfermagem, e a enfermeira chefe da Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho. Um representante do Conselho Internacional de Enfermeiros participa no trabalho da Comissão.