Página arquivada:pode conter informações antigas

Abjasia/Georgia: Continuam trabalhos com vítimas de minas terrestres

23-09-2002 Comunicado de imprensa

O Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) e o Ministério da Saúde e Assuntos Sociais da Abjasia firmaram um acordo de cooperação, na última semana, para o trabalho de próteses ortopédicas no país. O acordo, através do qual se garante a continuação dos serviços no centro ortopédico de Gagra vai vigorar até o final de 2003.

Entre os principais pontos do acordo está a manutenção das atividades ortopédicas que permitem que qualquer pessoa que necessite próteses, órteses e aparelhos ortopédicos possam receber assistência no centro de Graga. O CICV está passando gradualmente este programa para as mãos das autoridades de saúde e, em 2003, o Ministério da Saúde e de Assuntos Sociais se encarregará dos recursos humanos, das atividades técnicas, da gestão dos recursos e do banco de dados dos pacientes. O CICV não deixará de aportar recursos econômicos para o programa, além de assessoria e formação técnica.

As minas terrestres provocaram numerosas vítimas em Abjasia, muitas delas perderam extremidades do corpo. Em 1994, o CICV começou a trabalhar como Ministério da Saúde e de Assuntos Sociais com a intenção de desenhar um novo programa. A finalidade principal do programa é a produção de próteses segundo as normas internacionais, para ajudar gratuitamente e indiscriminadamente toda a população da Abjasia. Outra finalidade do programa é a formação dos profissionais que prestam serviço neste campo para que as autoridades de saúde do país possam continuar prestando serviços ortopédicos de qualidade no futuro.

Desde que o CICV e o Ministério da Saúde começaram a trabalhar conjuntamente, em 1994, foi aberto um novo centro ortopédico em Graga, onde são produzidas próteses, órtese s e aparelhos ortopédicos. De 1998 a 200, seis técnicos ortopédicos locais cursaram uma formação de nível reconhecido internacionalmente. Desde 1994, 610 pacientes já foram beneficiados pelo programa, dos quais 50% é vítima de conflitos armados. No total, 1.161 próteses foram oferecidas, 134 órteses, 134 aparelhos ortopédicos, 506 pares de muletas e 37 cadeiras de rodas.



Seções relacionadas