Página arquivada:pode conter informações antigas

Uganda: CICV amplia suas atividades

17-08-2004

O CICV, em cooperação com a Cruz Vermelha de Uganda, aumentou seu trabalho para fazer frente às necessidades humanitárias cada vez maiores nas regiões norte e leste do país.

De acordo com as últimas estimativas das Nações Unidas, o número de pessoas deslocadas no interior do país dobrou desde março de 2003 para 1,6 milão de pessoas. O conflito entre as Forças Armadas Ugandesas (UPDF) e o Exército de Resistência do Senhor (LRA), que já dura 17 anos, continua provocando conseqüências.

A maioria das pessoas deslocadas são acolhidas em uma das centenas de campos superlotados dos distritos de Gulu, Kitgum, Pader e Lira. As condições de vida extremamente duras e as precárias condições de segurança são motivos de preocupação constante. Milhares de crianças deixam os campos e vilarejos durante a noite, buscando refúgio em vilas vizinhas na esperança de escapar das abduções forçadas.

O impacto do atual conflito no âmbito econômico também é considerável. Com a grande atividade militar, o acesso às terras cultiváveis fica difícil e as pessoas deslocadas ainda dependem de ajuda alimentar.

O acesso à água também converteu-se em grave problema, na medida em que as pessoas deslocadas são obrigadas a passar horas nas filas para conseguir um pouco d'água num dos poucos pontos de distribuição. As precárias condições de higiene, saneamento e esgoto favorecem o surgimento de uma epidemia de cólera e de inúmeros casos de malária. Doenças como a diarréia, infecções respiratórias e dermatológicas são comuns, além de um problema ainda maior: o HIV/AIDS.

Os numerosos hospitais das regiões norte e leste do país estão superlotados e o pessoal médico, sob pressão, não tem condições de garantir o tratamento médico e cirúrgico adequado aos feridos de guerra e outras situações de urgência.

Nos meses de fevereiro e março de 2004, o CICV realizou uma avaliação das necessidades dos distritos de Gulu e Kitgum, na região norte do país, além de Lira, na região do Lango e Soroti e Kaberamaido, no leste. Em todos os campos visitados, o fornecimento de água era insuficiente e inadequado e a situação nutricional e médica, frágil.

 
        Uganda: ponto de distribuição de água reparado pelo CICV.©CICV/ref. ug-d-00044 
 

Depois deste trabalho, o CICV reavaliou seus objetivos para o fim do ano com a intenção de aumentar as operações de assistência às pessoas deslocadas e determinou a prioridade de atendimento a 24 mil famílias particularmente vulneráveis de cinco campos próximos a Kitgum. Em julho, sementes de legumes e ferramentas para a roça foram distribuídas. Em setembro, começará a distribuição de ajuda não-alimentar, como utensílios de cozinha, recipientes para armazenar e transportar água, sabão e cobertas. A Cruz Vermelha de Uganda distribuirá roupas para as crianças. O CICV prevê também melhorar o acesso a água potável, além de fornecer material de base para garantir maior higiene e saneamento através da construção de novos pontos de distribuição de água potável e da reconstrução das bombas manuais, além de 2 mil latrinas.

Os feridos de guerra receberão a atenção adequada através do apoio que será fornecido aos hospitais púlicos ou das próprias missões. Uma avaliação completa permitirá ao CICV ter um quadro mais preciso das necessidades sanitárias das pessoas deslocadas para 2005.

O CICV também planeja aumentar o trabalho de visita a detidos, retomando suas operações fora de Kampala, além de reestabelecer o diálogo com os militares com a intenção de promover um programa de formação em Direito Internacional Humanitário (DIH) e sensibilizar também este público para o mandato do CICV e as operações que a organização desenvolve no contexto.

Nestes três últimos anos, a cooperação entre o CICV e a Cruz Vermelha de Uganda permitiu a implementação de serviços de busca, através da Cruz Vermelha local, além de assegurar o fornecimento de bens de primeira necessidade e de realizar a promoção do Direito Internacional Humanitário, especialmente dentro dos distritos do norte e do leste do país que viveram mais intensamente o recrudescimento dos combates. Como o CICV retoma progressivamente suas atividades, foi posto em funcionamento um mecanismo que busca conduzir o processo de planificação funcional e coordenação das atividades entre os diferentes membros do Movimento Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho (CICV, Federação Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho e Sociedade Nacional da Cruz Vermelha).



Seções relacionadas