Página arquivada:pode conter informações antigas

Bósnia-Herzegóvina: Dez anos depois da queda de Srebrenica, famílias dos desaparecidos continuam a sofrer

08-07-2005 Comunicado de imprensa 05/60

Quando a Bósnia-Herzegóvina se prepara para comemorar o 10o aniversário da queda da cidade de Srebrenica, no dia 11 de julho de 1995, o CICV insta a que se renovem os esforços para esclarecer o destino de mais de 14.500 pessoas que continuam desaparecidas em função do conflito armado naquele país. A estatística inclui mais de 5.500 pessoas dadas como desaparecidas depois dos acontecimentos em Srebrenica e na região em torno da cidade.

O assassinato de até 8 mil pessoas depois que Srebrenica caiu em poder das forças sérvio-bósnias constitui a mais séria violação do Direito Internacional Humanitário na Europa desde a Segunda Guerra Mundial. Os acontecimentos de julho de 1995 são um marco trágico em um conflito armado que provocou um grande sofrimento a todas as comunidades na Bósnia Herzegóvina.

Dez anos após a queda de Srebrenica, e quase dez anos depois que o acordo de paz de Dayton pôs fim ao conflito, as famílias dos desaparecidos continuam a sofrer. Há poucas dúvidas de que os desaparecidos estejam mortos. No entanto, não saber com certeza o que aconteceu a um filho, marido, pai ou irmão (quase todas as pessoas desaparecidas são homens) e não poder dar-lhes um funeral digno e lamentar sua morte ao pé de um túmulo traz um fardo intolerável para essas famílias.

O direito de as famílias saberem o destino de seus parentes desaparecidos – tal como reconhecido pelo Direito Internacional Humanitário – deve ser mantido e respeitado. É principalmente responsabilidade das autoridades fornecer às famílias as informações que elas precisam a fim de que superar essas tragédias e seguir adiante. A comunidade internacional deve continuar a apoiar o processo em curso.

Várias organizações, incluindo o CICV, estão se esforçando para esclarecer o destino de todas as pessoas que ainda estão desaparecidas e apoiar suas famílias. Apesar de suas limitações, os esforços do CICV são valorizados pelas famílias dos desaparecidos. A campanha de coleta de dados ante-mortem, realizada no ano passado numa parceria entre a Sociedade da Cruz Vermelha da Bósnia Herzegóvina e associações de famílias de desaparecidos, ajudou até ag ora a identificar os restos mortais de 1 mil pessoas. Agora o CICV planeja entregar o banco de dados ante-mortem para as autoridades da Bósnia Herzegóvina. O banco de dados contém informações sobre mais de 12 mil pessoas que ainda estão desaparecidas.

A delegada geral do CICV para a Europa e as Américas, Béatrice Mégevand-Roggo, representará a organização nos eventos que serão realizados para celebrar o 10o aniversário da queda de Srebrenica. Mégevand-Roggo chefiava a delegação do CICV em Sarajevo em 1995.

  A lista das pessoas desaparecidas em função do conflito na Bósnia Herzegóvina pode ser encontrada no site do CICV (www.icrc.org) ou diretamente no endereço www.familylinks.icrc.org  

  Mais informações:  

  Sanela Bajrambasic, CICV Sarajevo, tel. +387 33 652 407 ou +387 61 102 278  

  Florian Westphal, CICV Genebra, tel. +41 22 730 29 30 ou +41 79 217 32 2