Página arquivada:pode conter informações antigas

Angola: Três décadas de ajuda às vítimas das minas

09-07-2008 Comunicado de imprensa

Luanda/Genebra (CICV) - O Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) fez a entrega do seu programa de reabilitação física das vítimas de minas terrestres em Angola ao Ministério da Saúde, após quase 30 anos de apoio do CICV para os três centros nomeadamente em Luanda, Huambo e Kuito. A capacidade técnica dos funcionários e o equipamento desses centros atingiram um tal nível em que as autoridades angolanas deveriam demonstrar sua capacidade de oferecer apoio de longo prazo e alta qualidade para as vítimas angolanas de minas terrestres, sem precisar da ajuda do CICV.

Entre 1975 e 2002, milhares de civis e militares foram mortos ou feridos devido ao uso massivo das minas anti pessoal e à extrema violência do conflito armado em Angola. O Ministério da Saúde calculou que em 2004 houve aproximadamente 80 mil amputados por causa das minas terrestres em Angola, dentre os quais mulheres e crianças. O país ainda vai ser atingido por muito tempo pelas conseqüências trágicas das minas. De acordo com o Landmine Monitor (ONG canadiana de monitorização do cumprimento da Convenção de Ottawa) em 2006 foram registrados 134 acidentes por minas no país. E outros 21 acidentes foram registrados nos primeiros três meses de 2007.

" Além de ajudar directamente as vítimas das minas, nosso principal objectivo desde que a guerra acabou tem sido oferecer à Angola pessoal qualificado e aparelhagem moderna " , afirmou Maryse Limoner, chefe da Delegação do CICV em Luanda. " Isto aumentou a capacidade do país para produzir membros artificiais e fazer a sua manutenção, além de oferecer a reabilitação física de que as pessoas precisam. Estamos muito contentes hoje em repassar às autoridades angolanas a responsabilidade total do programa. O maior desafio agora é garantir que as pessoas necessitadas tenham acesso aos cuidados médicos. Estávamos ajudando até junho último no transporte dos pacientes para os centros, e destes para casa " .

Durante seus 29 anos de cooperação com o Ministério da Saúde de Angola, o CICV gastou cerca de 42 milhões de francos suíços para prover, aos três centros de reabilitação física, equipamentos e treinamento de pessoal, o que possibilitou a produção de quase 32 mil membros artificiais, 724 aparel hos ortopédicos e cerca de 38,500 muletas. Além disso, a organização distribuiu mais de 900 cadeiras de rodas. Milhares de angolanos puderam beneficiar do programa do CICV, ao longo de cerca de 3 décadas.

Logo após o acordo de paz de 2002, Angola lançou-se ao processo de assinar e ratificar a Convenção de Ottawa, que proíbe as minas terrestres anti pessoal. O país é signatário da Convenção desde Janeiro de 2003.

  Mais informações:  

  Maryse Limoner, CICV Luanda, tel:+244 924 068 523  

  Anna Schaaf, CICV Genebra, tel: +41 22 730 2271 ou +41 70 217 3217