Página arquivada:pode conter informações antigas

Bósnia-Herzegovina: mais de 15.000 ainda estão desaparecidos

07-02-2006 Comunicado de imprensa 06/06

O Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) publicou hoje a sétima edição do Book of Missing Persons on the Territory of Bosnia and Herzegovina, como parte de seus esforços para resolver um dos mais sérios problemas do país atualmente. A última edição, publicada originalmente em 1996, contém nomes de 15.275 pessoas ainda desaparecidas.

De acordo com as determinações do Direito Internacional Humanitário (DIH), todas as famílias têm o direito de saber o que aconteceu com seus parentes desaparecidos e de enterrar os restos dos que tenham morrido, entendo esta como uma parte importante do luto. A obrigação de prover as famílias com todas as informações necessárias recai sobre as autoridades.

O livro traz o registro do sofrimento de milhares de famílias da Bósnia-Herzegovina que, 10 anos depois do fim da guerra, ainda esperam por notícias sobre o que aconteceu a seus entes queridos. A maior intenção da publicação é fornecer dados e informações a todos os envolvidos nas buscas para que possam ser encontradas informações úteis na solução dos casos. O livro também serve para lembrar que os esforços para esclarecer o detino dos desparecidos não podem ser abandonados até que cada um dos casos seja resolvido.

A publicação traz uma lista de nomes de pessoas desaparecidas, organizada em ordem alfabetica pelo nome do local de desaparição. Ele separa os nomes das pessoas sobre quais nenhum informação foi obtida desde que estas foram dadas como desaparecidas por seus familiares, das pessoas que foram dadas como mortas, segundo informações entregues ao CICV, mas cujos restos não foram encontrados. O livro pode ser consultado pelo público em geral nos escritórios do CICV e da Sociedade da Cruz Vermelha da Bósnia e Herzegovina.

A Comissão Federal sobre Pessoas Desaparecidas, o Escritório da Republika Srpska Para Busca de Detidos e Pessoas Desaparecidas, além de representantes dos governos, fornecem informações regularmente sobre a identificação de restos mortais que são encontrados na região. Isso permite que o CICV atua lize a lista de pessoas desaparecidas. A análise de DNA e a coleta de informações ante-mortem permitiram que milhares de familiares, finalmente, pudessem enterrar os restos mortais de seus entes queridos.

Desde 1995, o CICV já recebeu 21.480 pedidos de busca. Destes, 6.855 casos foram resolvidos, a maioria através da exumação e identificação de corpos. Mais de 350 famílias só reportaram o desaparecimento de parentes ao CICV recentemente (2005). " Este números revelam a dificuldade que as famílias têm em enfrentar o tormento e a incerteza " , disse Marianne Gasser, chefe da delegação do CICV na Bosnia-Herzegovina. " É importante que as famílias das pessoas desaparecidas em todo o país recebam respostas rapidamente.

Eles já esperaram muito e não podem reencontrar a paz enquanto não souberem o que aconteceu com seus parentes. Qualquer um que possa ajudar é convidado a dar um passo adiante " .

O CICV manterá os esforços para elucidar o destino de todos os que ainda são dados como desaparecidos e para dar apoio a suas famílias, de acordo com o seu mandato, estabelecido pelo Acordo de Paz de Dayton.

  Mais informações:  

  Sanela Bajrambasic, CICV Sarajevo, +387 33 652 407 ou + 387 61 102 278  

  Ian Piper, CICV Genebra; +41 22 730 5063 ou + 41 79 217 3216