Página arquivada:pode conter informações antigas

Geórgia: CICV envia assistência humanitária para a zona do conflito

11-08-2008 Comunicado de imprensa

Tbilisi/Genebra (CICV) – O Comitê Internacional da Cruz Vermleha (CICV) está fazendo os preparativos para transportar por via aérea 15 toneladas de remédios e suprimentos médicos para a Geórgia no início desta semana, a fim de ajudar a tratar dos feridos no conflito armado internacional entre soldados da Geórgia, Ossétia do Sul e Rússia.

O vôo charter de Genebra também deve incluir material para uma usina de tratamento de água e tanques para distribuição com capacidade para armazenar água potável para cerca de 20 mil pessoas.

À medida que a violência se espalha para além da Ossétia do Sul, o CICV vem tomando conhecimento de um número cada vez maior de vítimas civis. " A situação humanitária continua muito grave, afirmou Dominique Liengme, chefe da delegação do CICV na Geórgia. " Uma equipe de avaliação do CICV que conseguiu visitar a cidade georgiana de Gori confirmou que muitas pessoas fugiram. Também tivemos informações sobre um massivo deslocamento de pessoas em toda a região. "

" Até agora, o CICV não pôde entrar em Ossétia do Sul. Isto continua a ser uma prioridade para nós " , continuou. " Os combates foram ferozes demais para que nós pudéssemos nos locomover ou distribuir assistência, de forma que continuamos a exortar para ter acesso livre e seguro a todas as áreas atingidas pelo conflito. "

Na Ossétia do Norte, a organização está trabalhando com as autoridades russas para distribuir ajuda para os deslocados que fogem da Ossétia do Sul.

O CICV lembrou oficialmente a Geórgia e a Rússia sobre a sua obrigação, de acordo com o Direito Internacional Humanitário, de proteger os civis e sempre diferenciar entre a população civil e os que participam diretamente das hostilidades. As quatro Convenções de Genebra, seu protocolo Adicional I e as normas e princípios consuetudinários do Direito Humanitário são todos aplicáveis nesta situação.

Ataques indiscriminados ou diretos contra os civis são severamente proibidos pelo Direito Humanitário. Os feridos e enfermos têm direito a cuidados médicos. As pessoas que não participam diretamente das hostilidades – incluindo aqueles que se rendem e os que não participam mais porque estão feridos, enfermos ou foram capturados – não devem ser atacados e devem ser tratados com humanidade.

O CICV está se esforçando para ter acesso às pessoas que foram detidas em função do conflito, inclusive a dois pilotos russos que foram feridos e que estão detidos pelas autoridades georgianas. A organização também está tentando repatriar o corpo de um piloto russo que foi morto nos recentes combates.

O CICV tem uma delegação em Tbilisi, um escritório em Zugdidi (oeste da Geórgia) e uma pequena equipe em Gori. Espera-se a chegada de mais funcionários à Geórgia nos próximos dias. No norte do Cáucaso, o CICV tem uma subdelegação em Nalchik e escritórios em Khassaviurtm, Grozny, Nazran e Vladikavkaz.

O CICV espera lançar em breve um apelo preliminar para recursos a fim de responder à deterioração da situação humanitária.

  Mais informações:  

  Maia Kardava, CICV Tbilisi, tel: +995 32 35 55 10 ou +995 99 55 88 18 (celular)  

  Yuri Shafarenko, CICV Vladikavkaz, tel: +7 867 253 0737 ou +7 903 545 3534 (celular)  

  David-Pierre Marquet, CICV Moscou, tel: +7 495 626 5426 ou +7 906 708 46 37 (celular)  

  Anna Nelson, CICV Genebra, tel: +41 22 730 2426 ou +41 79 217 3264 (celular)