Página arquivada:pode conter informações antigas

Israel / Territórios Ocupados: civis e profissionais de saúde pagam o preço do conflito

10-07-2014 Comunicado de imprensa 14/120

Genebra / Tel Aviv (CICV) – O CICV pede a todas as partes que protejam os civis e os profissionais de saúde encurralados em meio ao crescente conflito.


Os paramédicos do Crescente Vermelho Palestino evacuaram os feridos em Khan yunis, um bairro ao sul da Faixa de Gaza. O Crescente Vermelho Palestino trabalha de maneira ininterrupta para prestar assistência e atendimento médico. © PRCS
 

O CICV lamenta categoricamente as vítimas e os estragos causados na filial do Crescente Vermelho Palestino em Jabaliya, norte de Gaza, no dia 9 de julho, quando uma dezena de colaboradores e voluntários foi ferida e três ambulâncias foram destruídas.

“O impacto humano deste círculo vicioso de conflito armado está piorando a cada dia”, disse o chefe da delegação do CICV em Israel e territórios ocupados, Jacques de Maio. “Os civis devem estar protegidos. Em todas as circunstâncias, devem-se garantir as condições de segurança que as ambulâncias, os hospitais e os profissionais de saúde precisam para realizar o seu trabalho vital”.

À medida que o número de vítimas continua aumentando, com dezenas de mortos e centenas de feridos, o CICV está trabalhando de maneira ininterrupta em estreita parceria com o Crescente Vermelho Palestino e o Magen David Adom para assegurar uma rápida resposta às necessidades médicas e de outra natureza. O CICV adaptou a sua estrutura operacional, a sua capacidade de ação e as suas medidas de segurança para garantir que possa atender as necessidades que surgem a partir da intensificação das hostilidades.

O diálogo do CICV com as autoridades israelenses e palestinas também foi reforçado. No âmago do Direito Internacional Humanitário (DIH) – também conhecido como Direito da Guerra – encontra-se a distinção que deve ser feita entre os civis e aqueles que participam diretamente das hostilidades. Deve-se estabelecer uma clara linha entre os objetivos militares e os bens civis. O CICV enfatiza que as partes estão obrigadas a tomar todas as precauções factíveis para poupar a população civil dos efeitos das hostilidades. O DIH proíbe ataques contra os civis e os bens civis.

 


Um paramédico do Crescente Vermelho Palestino ferido na estação Jabalyia, junto com outros colaboradores e voluntários, recebe atendimento médico em um hospital em Gaza. © PRCS

 

Mais informações:
Ran Goldstein, CICV Tel Aviv, tel: +972 52 27 57 517
Nadia Dibsy, CICV Jerusalém, tel: +972 52 601 91 48
Nada Doumani, CICV Genebra, tel: +41 22 730 24 78 ou +41 79 447 37 26