Haiti: o CICV reforça suas atividades para neutralizar a epidemia de cólera

26-11-2010 Relatório de operações

A epidemia de cólera continua se espalhando no Haiti e a situação ainda é muito preocupante nos seis departamentos do país afetados pela doença. Segundo o último relatório do Ministério da Saúde e da População, a epidemia afetou mais de 25 mil pessoas e causou mais de 1.400 mortes. Várias organizações humanitárias participam da luta contra a cólera.

  Veja também a entrevista ao chefe da delegação do CICV no Haiti

   
©CICV/O. Miltcheva/ht-e-00651 
   
Presídio civil de Porto Príncipe. Os detidos doentes são atendidos em um espaço isolado. 
               
©CICV/O. Miltcheva/ht-e-00650 
   
Em frente à enfermaria do presídio civil de Porto Príncipe, uma delegada do CICV conversa com um detido que trabalha na prevenção da cólera. Em segundo plano, transporte de sais de reidratação para os doentes. 
               
©CICV/O. Miltcheva/ht-e-00653 
   
Cité Soleil. O risco de contaminação é elevado devido aos problemas de higiene e à extrema pobreza na qual alguns habitantes vivem. 
               
©CICV/O. Miltcheva/ht-e-00652 
   
Esta bomba de água reabilitada pelo CICV abastece Cite Soleil com 2.400 m3 de água potável por dia. O CICV também toma medidas para intensificar a desinfecção com cloro das redes de distribuição de água. 
           

Alguns lugares estão mais expostos, como os bairros desfavorecidos de Porto Príncipe, onde a precariedade e a falta de higiene facilitam a propagação da doença, e os estabelecimentos penitenciários. De um total de 18 centros de detenção e 5,5 mil pessoas detidas, seis presídios, onde estão alojados mais de 3,5 mil detidos, estão afetadas hoje: Cap Haïtien, Mirebalais, Saint Marc et Hinche (na zona norte da capital), Les Cayes (na zona sul da capital) e o presídio civil de Porto Príncipe. Até o momento, 174 pessoas afetadas pela cólera receberam atendimento médico e 22 morreram.

  A resposta do CICV  

A delegação do CICV no Haiti acaba de reforçar sua equipe, com a chegada de quatro enfermeiros, um médico e dois engenheiros especializados em água e saneamento.

O CICV coordena todas suas atividades com o Movimento Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho e outras organizações que estão participando nos esforços de ajuda.

Nos bairros desfavorecidos de Porto Príncipe, em Cité Soleil e em Martissant, o CICV, em colaboração com a Cruz Vermelha Haitiana, facilita o abastecimento de água potável e as evacuações médicas. Participa também das campanhas de sensibilização da população sobre os hábitos de higiene.

No entanto, o CICV concentra seus esforços particularmente nos centros de detenção, onde é uma das poucas organizações humanitárias presentes.

  Neutralizar a cólera nos centros de detenção  

Desde o começo da epidemia, o CICV apoia as aut oridades penitenciárias a fim de permitir que tomem medidas preventivas em todos os centros de detenção. A organização trabalha em parceria com a Direção Nacional de Administração Penitenciária, o Ministério da Justiça, a polícia nacional, a Missão de Estabilização das Nações Unidas no Haiti, agências da ONU e ONGs.

Já foram aplicadas medidas de higiene em 11 centros de detenção, que envolvem, em particular, a limpeza e a desinfecção de celas e latrinas; o tratamento da água com cloro; a sensibilização dos funcionários e dos detidos quanto à higiene e a prevenção contra a cólera. O CICV também distribuiu artigos de higiene, sabão e material de limpeza.

Nos presídios afetados, e por recomendação do serviço médico da administração, mais de 3,5 mil detidos recebem, de forma preventiva, uma dose de doxiciclina (medicamento antibiótico utilizado para o tratamento da cólera). Além disso, com regularidade, as enfermarias dos presídios recebem remédios, sais de reidratação oral e injeções de solutos.

Em parceira com as equipes médicas do presídio central de Porto Príncipe, o CICV instalou um centro de tratamento de cólera dentro da unidade. Foram equipadas quatro zonas de observação e tratamento. As equipes médicas do CICV e da Cruz Vermelha Japonesa estão presentes de forma permanente.

  Ajudar os residentes dos bairros desfavorecidos  

     

Nos bairros populares, os principais parceiros do CICV é são a Direção Nacional de Água Potável e Saneamento, parceira do Movimento Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho, e ONGs.

Para facilitar o transporte dos doentes aos hospitais, o CICV presta apoio aos sistemas de evacuação da Cruz Roja Haitiana. Põe à disposição os meios de transporte e o material de prot eção e de primeiros socorros. Desde o início da epidemia, mais de 300 doentes foram evacuados.

Com a ajuda do CICV, os voluntários da Cruz Roja Haitiana informam aos moradores desses bairros sobre a doença e os conscientiza quanto à importância de seguir estritamente as medidas de higiene. Até o momento, essas sessões de sensibilização chegaram a mais de três mil pessoas.

Em Cité Soleil, o CICV toma as medidas necessárias para intensificar a desinfecção das redes de água. Além disso, distribuiu tabletes de purificação da água entre os beneficiários de 44 fontes reabilitadas pelo CICV.