Sudão: CICV intensifica ajuda com a proximidade do referendo

24-11-2010 Relatório de operações

Com as tensões políticas aumentando e o foco da atenção pública passando do Darfur para o referendo no sul, os confrontos armados continuam em diferentes regiões do Sudão. O CICV proporciona assistência humanitária para as pessoas afetadas pela violência armada.

     
©CICV/P. Yazdi / sd-e-02404 
   
Darfur. O nutricionista Dr. Mohammad Amiri ajuda uma mulher a amamentar seu bebê no centro de nutrição no campo de Gereida, administrado em conjunto pelo CICV, Cruz Vermelha Britânica e Cruz Vermelha Australiana. 
               
©CICV/P. Yazdi / sd-e-02403 
   
Darfur. De acordo com o governo do Sudão, o campo de Gereida para os deslocados abriga cerca de 119 mil pessoas, algumas por mais de cinco anos. 
               
©CICV/C. Generelli 
   
Akobo, sul do Sudão. Os especialistas do CICV compartem sua experiência com painéis solares, de projetos anteriores, com os técnicos locais que trabalham no Projeto Hidráulico de Akobo. 
               
©CICV/D. Revol/J. Warren 
   
Centro de reabilitação física apoiado pelo CICV em Juba, sul do Sudão. Apai Marceline, uma refugiada da República Democrático do Congo, conversa com os fisioterapeutas Yvan Sieler e Duku Simon sobre sua nova prótese. 
           

Visão geral das atividades do CICV de julho a outubro de 2010:

O sul do Sudão e as regiões adjacentes recebem cada vez mais a atenção internacional com o iminente referendo sobre a possível secessão da região, de acordo com o disposto no Acordo de Paz Abrangente de 2005. Entre as possíveis controvérsias incluem-se a demarcação de regiões transitórias entre o norte e o sul – destacando-se Abyei, rica em petróleo e sujeita a um referendo separado – e o futuro acesso a terras de pasto para os nômades.

Após muitos anos de conflito, o sul do Sudão permanece atingido pela pobreza, com poucos serviços públicos e vulnerável à violência tribal. As chuvas intensas das últimas semanas podem ter contribuído para uma diminuição da violência armada e dos confrontos entre tribos. Contudo, na fronteira com a República Democrático do Congo e a República Central Africana, a tensão é forte pela presença de homens armados. A população local tem medo de cultivar a terra por causa dos possíveis ataques e raptos.

Darfur continua volátil. Milhares de pessoas mais fugiram de suas aldeias no meio dos combates entre as forças governamentais e os grupos armados. A violência inter-comunitária

ainda surge regularmente, ao mesmo tempo em que o banditismo e os seqüestros põem em perigo tantos os civis como os trabalhadores humanitários. Estima-se que um terço da população de Darfur segue nos campos de deslocados.

As chuvas abundantes transformaram a maior parte da paisagem árida do Darfur em áreas verdes, trazendo esperanças aos agricultores locais, causando, porém, enchentes em Kutum e Kabkabya, no norte do Darfur. Espera-se que a colheita de cereais de n ovembro seja muito boa na maior parte da região, o que deve tornar a população menos dependente da ajuda. Entretanto, em algumas áreas no oeste de Darfur, continua difícil acessar a terra para cultivá-la, fazendo com que ervas daninhas tomem conta dos campos, devido aos enfrentamentos constantes entre as tropas governamentais e os grupos armados de oposição em Jebel Marra.

  Assistência a famílias deslocadas em Equatória Ocidental  

Precárias condições de segurança são endêmicas no Condado de Nzara (Equatória Ocidental), ao longo da fronteira com a República Democrático do Congo. O CICV forneceu lonas, roupas, baldes, machados, enxadas e colchões para mais de 2,8 deslocados devido à presença de homens armados na área. Também entregou sementes de tomate, cebola, cenoura e amendoim (cultivo para renda) para 30 mil deslocados em vários locais de Equatória Ocidental. Até 100 toneladas métricas de sementes e 10 mil ferramentas agrícolas foram distribuídas justo a tempo do plantio de setembro.

  Subsistência e apoio aos agricultores de Darfur  

Por intermédio dos líderes comunitários do norte de Darfur, o CICV distribuiu sementes, sorgo, feijão, óleo, açúcar e sal para quase 50 mil pessoas na área de Jebel Si. Além disso, doou lonas, enlatados, roupas, colchonetes e roupa de cama que foram entregues pela Sociedade Sudanesa do Crescente Vermelho a 1750 vítimas das enchentes na região de Kutum.

O CICV forneceu, com a ajuda das comunidades locais, lonas, roupas, artigos de higiene, colchonetes, roupa de cama, enlatados, enxadas e machados a mais de 6,6 mil deslocados que retornaram à região de Jeber Moon no oeste de Darfur.

Na localidade de Fase, perto de Zalingay, o CICV dispôs, em estreita cooperação com o Crescente Vermelho Suda nês e as comunidades locais, tratores alugados para 900 pessoas em quatro aldeias para cultivar suas terras sem que precisassem recorrer a burros ou cavalos. A região sofre com combates esporádicos entre as tribos, causando deslocamentos temporários. A comunidade decidiu fornecer os tratores de acordo com as prioridades a 150 famílias de origem mista árabe e fur, muitos dos quais haviam recentemente retornado às suas aldeias depois de estarem deslocados por um tempo. Mais de 80 hectares de terra foram plantados com painço ou sorgo, escolhidos pelos próprios agricultores.

Pela segunda vez em 2010, em outubro, mais de 65 mil pessoas na região de Bullbul no sul de Darfur, receberam comida e sementes para ajudá-los a sobreviver até a próxima colheita. A região é habitada principalmente por tribos de pastores árabes, muitos dos quais perderam seus rebanhos durante anos de conflitos armados, tendo que passar a cultivar a terra.

O CICV trabalha junto ao Ministério de Estado de Recursos Animais para fornecer serviços veterinários às comunidades pastoris cuja principal fonte de renda vem dos rebanhos. Quase 200 mil cabeças foram vacinadas no norte de Darfur, e quase 110 mil no sul. No oeste de Darfur, em Zalingey e Al Junaina, foram realizados dois cursos de reforço para 55 trabalhadores veterinários para aumentar sua capacidade de monitorar a saúde dos animais e levar serviços básicos de veterinária às comunidades pastoris remotas.

  Continuidade de algumas atividades no campo de Gereida e repasse de outras  

No campo de deslocados internos (DI) de Gereida, o CICV distribuiu sementes e ferramentas para mais de 160 mil pessoas para que aqueles que tivessem acesso às suas aldeias pudessem cultivar a terra. Em 13 aldeias ao redor de Gereida, o CICV entregou sementes e ferramentas para mais de 38 mil pessoas. O CICV tem se retirado gradativamente do c ampo de Gereida, desde 2009, sendo este o único campo com seu envolvimento direto desde que se iniciou o conflito em Darfur, para concentrar seus esforços em outras regiões.

Outras agências humanitárias fornecem comida, água e atendimento de saúde, enquanto que o CICV continua a dirigir um centro de nutrição apoiado pelas Sociedades da Cruz Vermelha da Austrália e Grã-Bretanha.

  Assegurar o acesso à água para os deslocados e as comunidades que os acolhem  

No norte e no sul de Darfur, o CICV continua a assegurar que as pessoas tenham acesso a quantidades suficientes de água potável, fornecendo também água para os rebanhos das comunidades rurais.

Antes da chegada das chuvas, em julho, o CICV consertou poços e bombas manuais em vários locais de Darfur, beneficiando mais de 12 mil pessoas. Em Nyala e Gereida, no sul de Darfur, treinou técnicos hidráulicos.

No sul de Darfur, o CICV continuou a apoiar, com ajuda terceirizada, as clínicas de saúde governamentais de Sania Deleba, em Nyala, ao ampliar as salas de consulta e renovar as latrinas.

No sul de Kordofan, nas redondezas de Darfur, o CICV consertou seis poços, fornecendo água para até 40 mil pessoas e seus rebanhos.

  Reunião familiar e restauração dos laços familiares  

De julho a outubro, o CICV recolheu cerca de 2750 mensagens familiares e distribuiu mais de duas mil. Além disso, reuniu 14 crianças com suas famílias.

  Ajuda aos feridos e portadores de deficiência para recuperar a locomoção  

Os seis centros de reabilitação física apoiados pelo CICV, em Cartum, Juba, Nyala, Damazin, Kasala e Gedaref, forneceram, de julho a outubro, próteses, órteses, aparelhos de locomoção e fisioterapia para mais de mil pessoas, incluindo 282 pacientes que receberam as próteses e órteses pela primeira vez. Desde o começo do ano, um total de 2552 pessoas no Sudão recebeu serviços de reabilitação física com o apoio do CICV.

  Incremento da presença do CICV  

O CICV começou a incrementar sua presença no sul do Sudão, nos últimos meses, para atender melhor as necessidades existentes de ajuda humanitária.

Além de reforçar a logística e os recursos humanos em Juba e Malakal, o CICV está abrindo um escritório em Wau (oeste de Bahr Al Gazal). No sul de Kordofan, o CICV monitora as necessidades humanitárias nos dois lados da fronteira norte-sul de 1956, pronto para intervir se necessário.

  Fortalecimento da capacidade da Sociedade Sudanesa do Crescente Vermelho  

O CICV conduziu várias oficinas para fortalecer a capacidade do seu parceiro principal, o Crescente Vermelho Sudanês, para agir em emergências causadas por desastres naturais ou violência armada. Em Malakal (Estado do Alto Nilo), por exemplo, os voluntários do Crescente Vermelho Sudanês, aprenderam recentemente, em uma oficina do CICV, como garantir fornecimento de água potável, tratar água da superfície e consertar bombas manuais. Em um treinamento realizado em Juba, os voluntários aprenderam a manusear, transportar e enterrar cadáveres, além de como lidar com o stress em situações difíceis.

  Promoção do cumprimento do Direito Internacional Humanitário  

O CICV manteve um diálogo com as autoridades políticas, forças armadas e membros influentes da sociedade civil para promover o cumprimento das regras do Direito Internacional Hum anitário e dos padrões internacionais. Entre julho e outubro, o CICV realizou 13 palestras para mais de 300 pessoas por todo Sudão entre militares, policiais de fronteira, membros da Polícia Central de Reserva e oficiais das missões das Nações Unidas no Sudão.

Juntamente com o Crescente Vermelho Sudanês, o CICV organizou três treinamentos em primeiros socorros para 47 membros das forças armadas sudanesas no sul de Kordofan durante o mês de setembro de 2010.

  Mais informações:  

  Aleksandra Matijevic Mosimann, CICV Cartum, tel: +249 1 83 476 464 ou +249 912 170 567  

  Nicole Engelbrecht, CICV Genebra, tel: +41 22 730 2063 ou +41 79 21 73 217  

  Hicham Hassan (para o idioma árabe), CICV Cairo, tel: + 20 225 28 1540 ou + 20 187 42 43 44