Haiti: combater a cólera é prioridade

11-01-2011 Relatório de operações

O CICV ajuda a combater a cólera nos centros de detenção. Até o momento, 405 foram tratados e 58 morreram. Em dois dos bairros mais carentes de Porto Príncipe, os voluntários da Cruz Vermelha Haitiana transferiram mais de 1.900 doentes para o hospital com o apoio do CICV.

 

     
©CICV/O. Miltcheva 
   
Presídio Civil de Porto Príncipe. Com vestimenta protetora, um detento desinfeta o centro de tratamento contra a cólera do presídio. 
               
©CICV/O. Miltcheva 
   
No pátio do Presídio Civil de Porto Príncipe, camas que serão instaladas no centro de tratamento contra a cólera. 
               
©CICV/O. Miltcheva 
   
Um pátio familiar em Cité Soleil, Porto Príncipe. 
           

Ajudar os detidos

Para assegurar que as pessoas atrás das grades no Haiti recebam tratamento adequado, o CICV está trabalhando em 18 centros de detenção do país, que abrigam cerca de 5.800 detidos.

" Nossa prioridade atual é apoiar as autoridades detentoras em seus esforços para manter e monitorar cuidadosamente as medidas tomadas para conter a cólera em todas esses centros de detenção " , disse a chefe-adjunta da delegação do CICV em Porto Príncipe, Sandra Dessimoz.

Desde o início da epidemia, em outubro, mais de 4.900 pessoas detidas em presídios e delegacias de polícia receberam, cada uma, uma dose do antibiótico doxiciclina como medida preventiva. Em todos os centros de detenção, o CICV introduziu medidas de higiene, como a limpeza e a desinfecção das celas e das latrinas. As enfermarias dos presídios são abastecidas regularmente como remédios, sais para reidratação oral e soro.

No presídio civil de Porto Príncipe, o CICV montou e equipou um centro de tratamento contra a cólera e quatro áreas de monitoramento e tratamento em cooperação com a equipe médica do presídio. O CICV está instalando beliches em várias alas do presídio para melhorar as condições de vida dos detidos. Também estão sendo realizadas melhoras em outra ala de aproximadamente 800 metros quadrados.

Nos dois presídios provinciais mais afetados pela cólera, em Cap-Haïtien e Les Cayes, o CICV monitora a situação médica diariamente. Desde dezembro, pessoal médico adicional foi enviado para responder à epidemia.

As delegacias de políci a em Petit-Goâve e Miragoâne, no sul do país, foram reformadas de maneira que os detidos podem ter acesso regular a áreas ao ar livre. Os danos causados pelo terremoto também foram consertados. A reforma e a ampliação da delegacia de polícia de Aquin, atualmente em curso, estão sendo realizadas visando alcançar objetivos semelhantes.

Levar socorro aos residentes de Cité-Soleil e Martissant

O CICV continua apoiando os postos de saúde da Cruz Vermelha Haitiana em Cité-Soleil e Martissant, dois dos bairros mais carentes da capital. Desde o início da epidemia de cólera, os socorristas da Cruz Vermelha já transferiram mais de 1.900 doentes para o hospital. Até o momento, os voluntários da Cruz Vermelha já conscientizaram mais de 30 mil pessoas com relação aos perigos da cólera.

O CICV continua desinfetando a rede a abastecimento de água em Cité-Soleil. " Para purificar a água na fonte, instalamos um sistema de cloração em uma das estações de bombeamento " , disse Ruth Merki, que coordena as atividades de água e saneamento do CICV no país. " Ao mesmo tempo, nossa equipe distribuiu cerca de 900 mil tabletes de purificação de água para 200 mil moradores " . Com a mesma finalidade, 245 proprietários de tanques de água receberam um total de 80 quilos de cloro.

O CICV também está reformando a rede de abastecimento de água em Cité-Soleil, que foi gravemente atingida pelo terremoto. No momento, o trabalho está sendo realizado em duas estações de bombeamento para melhorar o acesso à água potável. Oito fontes públicas de água foram reformadas, das quais sete têm torres de água com capacidade para 12 mil litros cada.

Restabelecimento de laços familiares

Desde 12 de janeiro de 2010, o CICV busca os parentes de 146 men ores que se separaram de seus familiares em decorrência do terremoto e cerca de 130 crianças desaparecidas. Trabalhando em parceira com a Cruz Vermelha Haitiana, a equipe do CICV ajudou 80 crianças a se reencontrarem suas famílias ou recuperarem o contato com familiares.

 

Mais informações:

Jean Jacob Charles, CICV Porto Príncipe, tel: +509 3458 4186

Marçal Izard, CICV Genebra, tel: +41 22 730 24 58 ou +41 79 217 32 24

 

O CICV também está no Facebook (facebook.com/icrcfans) e no Twitter (twitter.com/cicv_portugues)