Sudão: a assistência humanitária continua em bom ritmo na contagem regressiva para a separação

07-07-2011 Relatório de operações

Enquanto o Sudão se prepara para o dia 9 de julho, data em que será dividido em dois países, no sul e nas zonas de transição foi registrado um aumento da tensão e da violência armada. Em Darfur, a situação humanitária continua preocupante devido ao conflito armado pelo qual está atravessando.

  Situação atual  

     

Em diversas regiões, as necessidades humanitárias originadas pelos combates e outros episódios de violência são prementes.

Os conflitos ocorridos em Abyei em meados de maio entre as Forças Armadas Sudanesas, do norte, e o Exército Popular de Libertação do Sudão (SPLA), do sul, tiveram como saldo milhares de feridos e provocaram o deslocamento massivo da população civil.

Apenas um mês depois, os conflitos se deslocaram a Kadugli, a capital do estado do Cordofão do Sul, e seus arredores, onde a situação humanitária parece ser muito preocupante. O CICV ainda não tem acesso à zona.

Desde o referendo de 2011, o SPLA e algumas frações do SPLA se enfrentaram nos estados de Juncáli, Unidade e Alto Nilo. O Sudão do Sul também continua sofrendo episódios de violência étnica, enquanto a população local de Equatória Ocidental continua ameaçada pelos ataques de elementos armados.

Apesar dos esforços das partes beligerantes para encontrar uma solução política ao conflito de Darfur, com o apoio da comunidade internacional, no primeiro semestre de 2011 milhares de civis tiveram de fugir de seus lares como consequência dos combates entre as forças governamentais e vários grupos armados, e dos conflitos interétnicos.

O CICV está presente no Sudão desde 1978. A partir de 9 de julho, dirigirá suas operações no Sudão e no Sudão do sul separadamente, as primeiras a partir de Cartum e as segundas a partir de Juba.

  Apoio à distribuição de ajuda do Crescente Vermelho Sudanês no Cordofão do Sul  

O CICV apoia as atividades humanitárias do Crescente Vermelho Sudanês, seu principal parceiro operacional no Sudão, desde que os conflitos começaram em Kadugli no começo de junho, enquanto continua dialogando com as autoridades com o objetivo de obter acesso à zona.

O CICV forneceu ao Crescente Vermelho Sudanês roupa, material para construir refúgios, artigos de higiene e de emergência, para ajudar cerca de 18 mil pessoas. Também ofereceu assessoria técnica sobre o manejo de cadáveres às equipes de assistência emergencial e lhes proporcionou sacos para que pudessem recolher os corpos. Além disso, forneceu emplastros a três centros de saúde da zona.

“Estamos dialogando com as autoridades competentes para poder acessar a zona de Kadugli e desempenhar nossa obrigação humanitária de ajudar e proteger as vítimas dos conflitos armados e outras situações de violência”, declarou o novo chefe da delegação do CICV no Sudão, Pascal Hundt.

  Ajuda aos centros de saúde para atender os feridos na zona de Abyei  

O CICV não pôde acessar a zona de Abyei desde que os conflitos eclodiram, no dia 19 de maio.

Apesar disso, em uma semana, o CICV proporcionou ao Hospital de Mugla ––situado a cerca de 180 km de Abyei–– e a outros três centros de saúde cerca de 1,5 toneladas de material de primeiros socorros, emplastros e material cirúrgico, suficientes para atender a mais de cem pacientes feridos por arma, completando assim a intervenção das autoridades sanitárias locais.

O CICV também ajudou os voluntários do Crescente Vermelho Sudanês, que colaboravam com o pessoal do Hospital de Mugla para manter as condições de higiene. Quando a situação de segurança melhorou, o CICV retomou os trabalhos de melhoria das instalações sanitárias do hospital e a judou os voluntários do Crescente Vermelho Sudanês a restabelecerem o contato entre as famílias separadas.

  Ajuda às pessoas que sofrem as consequências dos combates  

Uma das questões que vêm preocupando o CICV há bastante tempo é a de atender às necessidades da população civil de Jebel Marra, na região de Darfur, que, há mais de um ano, mal tem recebido ajuda humanitária. O CICV continua tentando ter acesso a estas pessoas desde maio de 2010.

Em junho, o CICV conseguiu distribuir a cerca de 250 mil habitantes de Jebel Marra azeite, sorgo, legumes e condimentos suficientes para subsistirem entre duas e quatro semanas. Mais de 168 mil pessoas receberam além de sementes de verduras variadas, feijão caupi, amendoim, sorgo e ferramentas para a agricultura.

Em Darfur do Sul, cerca de 138 mil pessoas afetadas pelos combates e pela seca receberam sementes, ferramentas e alimentos para duas semanas, a fim de aumentar sua ingestão nutricional durante a temporada de semeadura. Em junho, o CICV também proporcionou óleo para cozinhar, sementes e ferramentas a mais de 60 mil pessoas que tinham regressado a suas aldeias de origem nos arredores de Gereida.

“Estamos tentando ajudar as comunidades das zonas rurais mais afastadas para que possam se dedicar de novo à agricultura e sejam autossuficientes para a próxima temporada”, explicou o encarregado das atividades de segurança econômica do CICV no Sudão, Christophe Driesse. “A magnitude e a complexidade das distribuições têm sido extraordinárias, devido à extensão da área que Darfur ocupa, a falta de estradas, a insegurança e outras dificuldades logísticas”.

Entre janeiro e fevereiro, o CICV forneceu alimentos a cerca de 49 mil habitantes e deslocados de Jebel Si, em Darfur do Norte.

Em uma operação de emergência realizada entre janeiro e final de junho, o CICV, habitualmente em parceria com o Crescente Vermelho Sudanês, distribuiu por toda Darfur alimentos para mais de 570 mil pessoas deslocadas e que tinham regressado a seus lugares de origem. Além disso, entregou artigos de emergência como lonas, cobertores, garrafas de água, baldes, artigos de higiene e roupa a cerca de 13 mil deslocados.

Em junho, no Sudão do Sul, o CICV proporcionou material para construir refúgios, roupa, sabão, roupa de cama e utensílios de cozinha básicos a mais de 3,1 mil pessoas que tiveram de fugir para as cidades de Old Fangak e Muliki, no estado de Juncáli, devido aos conflitos entre o SPLA e suas facções. Apesar disso, distribuiu sementes e ferramentas, assim como alimentos suficientes para duas semanas a cerca 1,9 mil deslocados em Old Fangak.

Entre março e junho, o CICV também distribuiu rações alimentares suficientes para duas semanas que incluíam óleo para cozinhar, sorgo, legumes e condimentos a cerca de 75 mil pessoas dos estados do Alto Nilo, Juncáli e Equatória Ocidental, no Sudão do Sul, para ajudá-los nos primeiros momentos de seu deslocamento, que costumam ser os mais traumáticos. Nestes mesmos estados, entre os meses de janeiro e abril, proporcionou a mais de 34 mil pessoas deslocadas pelos conflitos armados lonas, roupa de cama, garrafas de água, sabão e utensílios básicos de cozinha. Em maio, o CICV forneceu a mais de 15 mil deslocados e residentes de Juncáli e de Equatória Ocidental sementes e ferramentas para restabelecer seus meios de subsistência.

  Atuação como intermediário neutro nas operações de libertação de detidos  

Desde o começo deste ano, e com o consentimento das partes concernidas, o CICV solucionou questões burocráticas para a libertação e o transporte de 53 membros das Forças Armadas Sudanesas que haviam sido detidos por vários grupos opositores em Darfur.

  Melhoria do estado nutricional dos deslocados no campo de Gereida  

No campo de deslocados de Gereida, em Darfur do Sul, o CICV administra, em colaboração com a Cruz Vermelha Australiana, um centro nutricional cujo objetivo é prevenir a desnutrição das crianças com menos de cinco anos e melhorar a ingestão nutricional das grávidas e lactantes. Desde o começo do ano, o centro distribuiu mais de 66 toneladas de alimentos, entre eles plumpy’nut, leite para lactantes e biscoitos nutritivos, a mais de 13 mil mulheres e crianças.

  Melhora do acesso aos centros de saúde  

O CICV continua colaborando com sete postos de primeiros socorros do Darfur Ocidental e do Sul. Nos seis primeiros meses deste ano, os centros ofereceram atendimento básico a mais de 25 mil pacientes, entre eles cerca de seis mil mulheres que receberam atendimento pré-natal.

O CICV ajudou o Ministério da Saúde a vacinar a mais de 12 mil crianças contra tuberculose, difteria, tétano, coqueluche e hepatite B, e a mais de 22,8 mil crianças contra outras doenças. No total, estima-se que cerca de 117 mil pessoas de Darfur se beneficiaram da ajuda oferecida pelo CICV aos centros médicos locais.

No Sudão do Sul, uma equipe cirúrgica móvel do CICV operou cerca de noventa feridos por arma na primeira metade do ano. Os pacientes tratados em oito hospitais dos estados de Bahri Jebel, Unidade, Alto Nilo e Bahr Ghazal foram beneficiados com as doações de medicamentos, emplastros e outros fornecimentos realizados pelo CICV.

  Água potável para as pessoas e os animais  

No Cordofão do Sul e em Darfur, em colaboração com as comunidades locais e os organismos de fornecimento de água, o CICV consertou os pontos de abastecimento de água situados nas zonas rurais e nas rotas migratórias do gado para melhorar o acesso à água potável.

O CICV treinou 204 técnicos de bombas de água manuais em Darfur do Norte, do Sul e Ocidental, assim como no Cordofão do Sul, para que pudessem se encarregar da manutenção dos pontos de abastecimento públicos, e proporcionou caixas de ferramentas e peças de reposição para as comunidades locais. Os parceiros do CICV consertaram os depósitos de água destruídos das aldeias situadas ao redor de Gereida e Al Fashir. O conserto dos pontos de abastecimento de água também trouxe benefício para o gado.

Durante os primeiros seis meses do ano, o CICV abasteceu de água potável a mais de 365 mil pessoas do Cordofão do Sul e Darfur.

No Sudão do Sul, o projeto hidráulico de Akobo pretende fornecer água potável a mais de 55 mil habitantes e a outras pessoas que fugiram a Akobo por causa dos confrontos tribais registrados em diversas zonas do estado de Juncáli. Durante os primeiros meses de 2011, o CICV construiu um sistema de bombeamento para operar seis poços por energia solar. Para que a comunidade de Akobo pudesse usar por si mesma este sistema, o CICV treinou 11 técnicos locais, aos quais transmitiu os conhecimentos necessários para a manutenção do sistema de bombeamento por energia solar.

  Proteção para os animais contra as doenças mais comuns  

Com os combates e a insegurança como pano de fundo em várias zonas do Cordofão do Sul, o CICV, em cooperação com o Ministério de Recursos Animais e Pesca, se esforça por realizar um programa de vacinação do gado em grande escala. No mês de junho, foram vacinadas cerca de 70 mil cabeças de gado e 24 mil ovelhas e cabras contra as cinco doenças mais comuns que afetam os animais.

No decorrer do ano, o CICV e o Ministério de Recursos Animais e Pesca imunizaram 270 mil animais em Darfur Ocidental e Darfur do Norte contra as principais doenças animais do Sudão, e vacinou outros 93 mil em diversas zonas do estado de Juncáli, no Sudão do Sul.

  Restabelecimento do contato entre familiares separados pelo conflito armado e outras situações de violência  

Durante a primeira metade do ano, o CICV e o Crescente Vermelho Sudanês recolheram 3.173 mensagens da Cruz Vermelha e distribuíram outras 2.851. Estas mensagens permitem intercambiar notícias entre familiares separados pelos conflitos armados e outras situações de violência. Também organizaram em sete ocasiões a troca de mensagens orais (salamat) entre os detidos sudaneses no Líbano e seus familiares no Sudão. Assim mesmo, o CICV e o Crescente Vermelho Sudanês ajudaram os cidadãos sudaneses e outros estrangeiros residentes na Líbia a restabelecerem o contato com seus familiares depois de terem sido separados como consequência da situação nesse país.

O CICV e o Crescente Vermelho Sudanês também ajudaram a reunir oito menores desacompanhados do Sudão do Sul com seus familiares na República Democrática do Congo.

O CICV organizou seis ligações por videofone entre os cidadãos sudaneses detidos nos centros de detenção norte-americanos de Guantânamo e Bagram e seus familiares no Sudão.

  Serviços de reabilitação física  

Sete centros de reabilitação com os quais o CICV colabora e uma unidade móvel proporcionam uma ampla gama de serviços, como a colocação de órteses e próteses e o atendimento fisioterapêutico.

Durante a primeira metade de 2011, o CICV proporcionou serviços de reabilitação física a mais de 2.500 pacientes em Dongola, Gedaref, Juba, Jartum, Kadugli, Kasala e Nyala, dos quais mil receberam atendimento fisioterapêutico.

  Promoção do Direito Internacional Humanitário  

O CICV continuou dialogando com as forças armadas e os líderes comunitários para promover seu trabalho e o conhecimento do Direito Internacional Humanitário.

O CICV organizou sessões informativas sobre o Direito Internacional Humanitário para cerca de 120 soldados das Forças Armadas Sudanesas, mais de 500 membros do SPLA e 40 membros das Unidades Conjuntas Integradas espalhadas nas zonas de transição entre o norte e o sul. Além disso, mais de dez agentes do Corpo Central da Polícia de Reserva participaram dos cursos do CICV para serem instrutores de Direito Internacional Humanitário.

Por outro lado, mais de 220 agentes da polícia e de segurança nacional, mais de 130 membros da defesa da comunidade e mais de cem membros que desertaram do SPLA participaram de sessões informativas organizadas pelo CICV, onde foram ensinados os princípios humanitários básicos.

A nível local, mais de 500 representantes das comunidades locais e diversos grupos da sociedade civil melhoraram seu conhecimento sobre o CICV, o Movimento Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho e o emblema em sessões organizadas pelo CICV.

  Mais informações:  

  Julia Gebert, CICV, Jartum, tel.: +249 183 476 465, tel.: +249 912 13 77 64  

  Adebayo Olowo-Ake, CICV Juba, tel.: +249 912 178 946, tel.: +249 811 823 412  

  Nicole Engelbrecht, CICV, Genebra, tel.: +41 22 730 22 71 ou +41 79 217 32 17