Página arquivada:pode conter informações antigas

Geórgia/Federação Russa: CICV amplia operação na Ossétia do Sul

21-08-2008 Relatório de operações

Após chegar em 20 de agosto a Tskhinvali, capital da Ossétia do Sul, o Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) começou a realizar a primeira avaliação das necessidades humanitárias. Nos próximos dias e semanas, a organização vai ampliar sua operação na Ossétia do Sul e fortalecer sua equipe na capital, enquanto presta assistência a pessoas deslocadas em Tblisi e outras partes da Geórgia, assim como na Ossétia do Norte na Federação Russa.

     
©Reuters/David Mdzinarishvili 
   
Uma mulher georgiana deixa sua aldeia perto da capital da Ossétia do Sul, Tskhinvali. 
                   
©Reuters/Vasily Fedosenko 
   
Uma mulher caminha em frente a uma casa destruída na capital da Ossétia do Sul, Tskhinvali. 18 de Agosto de 2008  
                   
©Reuters/Vasily Fedosenko 
   
Uma mulher da Ossétia do Sul que fugiu do bombardeio contra sua aldeia, se senta na aldeia de Dzhava, perto de Tskhinvali. 
           

Um comboio do CICV formado por 5 Land Cruisers com 7 funcionários estrangeiros e 10 nacionais chegou à capital da Ossétia do Sul, Tskhinvali, ao redor das 17h30 (hora local) na quarta-feira, 20 de agosto. A equipe conta com um cirurgião, um médico ortopedista, outra equipe médica, um especialista em água e saneamento, um especialista em assistência e delegados de proteção. 

  Notícias da Ossétia do Sul  

No trajeto da Ossétia do Norte para a Ossétia do Sul, a equipe do CICV viu carros em chamas e percebeu uma sensação generalizada de desolação. Em Tskhinvali, as prateleiras dos supermercados parecem estar vazias, embora aparentemente o governo russo esteja prestando assistência à população.

A equipe do CICV foi saudada por Boris Chochiev, do governo de fato da Ossétia do Sul. Funcionários locais do CICV aguardavam ansiosamente a chegada do comboio. O CICV teve um escritório em Tskhinvali por vários anos. No entanto, com o início dos combates duas semanas atrás, a maior parte da equipe foi obrigada a fugir ou se esconder, e assim o escritório não estava em funcionamento. Há um sentimento generalizado de alívio pelo fato de que o escritório poderá voltar a funcionar em breve.

A equipe conversou com um pequeno grupo de residentes, que foram ao escritório do CICV na noite de quarta-feira (20 de agosto) e na quinta pela manhã, para expressar sua preocupação com familiares cujo paradeiro é desconhecido ou que perderam contato.

A equipe do CICV escutou tiros isolados durante a noite. Também tomou conhecimento de explosões esporádicas que ocorrem como resultado de operações de retirada de minas. A equipe afirma que os residentes estão nervosos por conta disso.

  Avaliação das necessidades humanitárias  

Intensas atividades de avaliação do CICV começaram em 21 de agosto. A equipe visitou o principal hospital de Tskhinvali para determinar as condições das instalações médicas e as necessidades dos pacientes. Os funcionários levaram um kit para feridos de guerra (a 25 pessoas), que foi entregue ao hospital. Eles vão tentar obter uma idéia do tipo de provisões (água e suprimentos) que estão disponíveis aos residentes.

  Detidos e pessoas de paradeiro desconhecido  

A equipe do CICV espera se reunir com autoridades de fato da Ossétia do Sul em 21 de agosto a fim de solicitar o acesso a todas as pessoas detidas em relação com as hostilidades e discutir sobre outros temas ligados à proteção, como as pessoas de paradeiro desconhecido e o restabelecimento de laços familiares. O CICV tomou conhecimento de várias pessoas na Ossétia do Sul cujo paradeiro continua desconhecido.

  Restos mortais  

O CICV também vai ajudar as autoridades a garantir que os restos mortais sejam identificados apropriadamente, e, onde for possível, fazer com que sejam restituídos às suas famílias.

 
Geórgia 
 

  Comida e assistência médica  

Continua a distribuição de artigos de primeira necessidade. Até agora, o CICV entregou comidas e outros gêneros emergenciais, como cobertores, medicamentos e galões, a pelo menos 7 mil pessoas na Geórgia, incluindo Tblisi, Gori e Zugdidi. A organização também restaurou o acesso à água potável e melhorou as condições sanitárias para outras 3.700 pessoas. Com isso, o número de pessoas assistidas na Geórgia até agora ultrapassa 10 mil. 

  Base de operações em Gori  

O CICV está abrindo um escritório na cidade georgiana de Gori. Com ele, a organização vai oferecer assistência adicional a povoados isolados nos arredores da cidade, onde pessoas ainda podem estar sem receber ajuda. Cada vez mais pessoas são vistas nas ruas – principalmente idosos – e pedem comida e medicamentos. Até agora, cerca de mil pessoas receberam comida e artigos de primeira necessidade do CICV em Gori. (Essa estimativa está incluída no total de 10 mil, mencionado acima).

  Saúde – entrega de suprimentos aos feridos de guerra e visitas a hospitais  

O CICV entregou três kits para feridos de guerra a um hospital na cidade georgiana de Kutaisi, em 18 de agosto, e outro a um hospital em Kareli. Equipes de avaliação médica de Tblisi e Zugdidi visitaram o hospital em Kutaisi nesse dia.

  Restabelecer laços familiares  

Os delegados do CICV continuam a ter conhecimento de pessoas muito preocupadas pelos parentes que deixaram para trás, especialmente na Ossétia do Sul. Muitos estão temem por seus parentes mais velhos, que não puderam fugir quando os combates começaram. Agora que o CICV obteve acesso à Ossétia do Sul, a troca de notícias entre famílias na Geórgia e seus parentes na Ossétia do Sul vai começar de forma intensa.

 
Ossétia do Norte 
 

A distribuição de produtos de higiene em quatro centros para deslocados na Ossétia do Norte (em Alagir, Urdson e Metallurg) foi realizada na quarta-feira para mais de 420 pessoas. Com isso, mais de mil pessoas já receberam assistência do CICV e da Cruz Vermelha Russa na Ossétia do Norte.