A delegação regional do CICV no Pacífico

16-07-2014 Panorama

A delegação regional do CICV no Pacífico está sediada em Suva, Fiji. Abrange 16 países (Austrália, Estados Federados da Micronésia, Fiji, Ilhas Cook, Ilhas Marshall, Ilhas Salomão, Kiribati, Nauru, Niue, Nova Zelândia, Palau, Papua Nova Guiné, Samoa, Tonga, Tuvalu, Vanuatu) e outros territórios do Pacífico. O foco principal da delegação é a promoção do Direito Internacional Humanitário (DIH) e outras questões humanitárias com governos, forças de segurança, círculos acadêmicos, mídia e sociedade civil. A delegação presta assistência às comunidades afetadas por conflitos, visita detidos e apoia e trabalha com as Sociedades Nacionais na região.

Ajuda aos detidos

A delegação regional no Pacífico visita os detidos presos em conexão com o ultimo distúrbio em Fiji e nas Ilhas Salomão. Em 2010, a organização começou a visitar os presídios em Papua Nova Guiné. O objetivo dessas visitas é assegurar que o tratamento que os detidos recebem e as condições de detenção atendam aos parâmetros reconhecidos internacionalmente. O CICV compartilha suas observações e sugestões com as autoridades relevantes de forma confidencial. Nas Ilhas Salomão, o CICV apoio o programa de visita familiar aos detidos, administrado pela Cruz Vermelha das Ilhas Salomão.
 

Apoio às comunidades afetadas pela violência interétnica

Em Papua Nova Guiné, o CICV, junto com a Cruz Vermelha local, mantém uma presença cada vez maior nas áreas afetadas pela violência interétnica. A organização estabeleceu contato com comunidades e grupos envolvidos em violência tribal de modo a aumentar sua confiança e ganhar a aceitação do trabalho da Cruz Vermelha em situações voláteis como essas. Quando é necessário e possível, o Comitê apoia as comunidades afetadas com ajuda básica diária ou médica.
 

Promoção do Direito Internacional Humanitário

No Pacífico, o CICV trabalha junto com as Sociedades Nacionais para promover a ratificação dos tratados de DIH por parte dos países na região e assiste as autoridades na formulação de medidas necessárias para implementar tais tratados no nível nacional. O Comitê também assiste as autoridades em sua responsabilidade de promover o conhecimento do DIH no nível nacional.
 

Para tanto, a organização conta com programas específicos para aumentar o conhecimento do DIH entre membros das forças armadas e de segurança em geral. Esses esforços são adaptados às necessidades dos países onde há um potencial para violência ou aqueles que estão posicionando tropas no exterior. Isso se faz por meio de treinamento, apresentações, eventos regionais, apoio ao pessoal que participa de treinamento e de exercícios militares no exterior.
 

O CICV promove uma ampla cobertura de questões humanitárias por meio da mídia regional com contato regular, sessões informativas e oferecendo informações e treinamento. Também trabalha para aumentar a conscientização de seu mandato e das atividades entre organizações não governamentais de direitos humanos, círculos de reflexão e líderes comunitários. As instituições acadêmicas são incentivadas e apoiadas para aumentar o conhecimento de estudantes com relação ao DIH e a incorporar a matéria no programa dos cursos de Direito e Jornalismo.
 

Apoio às Sociedades Nacionais

O CICV apoia os esforços das Sociedades Nacionais da região para serem atores humanitários distintos em seus respectivos países. A organização oferece treinamento, conhecimento e material de apoio para ajudar as Sociedades Nacionais a responderem de maneira eficaz em conflitos armados, situações de violência ou outras emergências. Em particular, se concentra no aumento de capacidade em termos de serviços de restabelecimento de laços familiares e primeiros socorros, a habilidade de trabalhar com segurança em situações de conflito armado e a promoção do DIH e da identidade do Movimento a Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho.
 

A delegação regional no Pacífico originalmente estava sediada em Jacarta, depois em Manila e se mudou a Suva em 2001. Coordena todo o trabalho do CICV nos 16 países e territórios que cobre. Para aumentar sua capacidade de resposta em Papua Nova Guiné, a delegação abriu um escritório representativo (missão) em Porto Moresby, em 2007. Seu trabalho na Austrália é administrado pelo escritório em Sydney desde 1994.

Foto

Papua Nova Guiné. Na ilha de Bougainville, o CICV está ajudando a reconstruir a unidade de atendimento de saúde, que foi distruída durante um conflito armado interno nos anos 1990. Nesta foto, o CICV, junto com a Cruz Vermelha de Papua Nova Guiné, entrega equipamento médico ao centro de Saúde Arawa. 

Papua Nova Guiné. Na ilha de Bougainville, o CICV está ajudando a reconstruir a unidade de atendimento de saúde, que foi distruída durante um conflito armado interno nos anos 1990. Nesta foto, o CICV, junto com a Cruz Vermelha de Papua Nova Guiné, entrega equipamento médico ao centro de Saúde Arawa.
© CICV

Fiji. O CICV realiza visitas anuais às unidades de detenção de Fiji. Esta foto mostra um delegado do CICV conversando com funcionários administrativo e de manutenção na Penitenciária Lautoka, província de Ba. 

Fiji. O CICV realiza visitas anuais às unidades de detenção de Fiji. Esta foto mostra um delegado do CICV conversando com funcionários administrativo e de manutenção na Penitenciária Lautoka, província de Ba.
© CICV / v-p-fj-e-00006

Papua Nova Guiné. Um engenheiro hidráulico do CICV supervisiona a distribuição de água à penitenciária Bihure. O CICV também assiste as prisões para ajudar a garantir as condições sanitárias e de vida adequadas, e informa às autoridades penitenciárias com o objetivo de manter as as regras nacionais e internacionais. 

Papua Nova Guiné. Um engenheiro hidráulico do CICV supervisiona a distribuição de água à penitenciária Bihure. O CICV também assiste as prisões para ajudar a garantir as condições sanitárias e de vida adequadas, e informa às autoridades penitenciárias com o objetivo de manter as as regras nacionais e internacionais.
© CICV

Austrália. Um delegato do CICV participa de um exercício no terreno comandado pelas Forças de Defesa da Austrália. Durante a atividade, o CICV simula situações, incluindo a captura e o tratamento dado aos prisioneiros pelas forças armadas. 

Austrália. Um delegato do CICV participa de um exercício no terreno comandado pelas Forças de Defesa da Austrália. Durante a atividade, o CICV simula situações, incluindo a captura e o tratamento dado aos prisioneiros pelas forças armadas.
© CICV