O CICV no Japão

06-01-2014 Panorama

A missão no Japão (CICV-Tóquio) tem por foco ampliar o debate humanitário no país, contribuindo com a política exterior do governo japonês relativa às questões humanitárias e buscando o seu apoio político e financeiro. Atua junto à Cruz Vermelha Japonesa nos assuntos de relações públicas; as duas instituições promovem em parceria o ensino do direito humanitário, organizam operações conjuntas no terreno, mobilizam o apoio da população às atividades internacionais da Cruz Vermelha Japonesa e recrutam delegados japoneses para as operações internacionais do CICV.

As atividades no país remontam à época da Primeira Guerra Mundial, quando a organização visitou prisioneiros de guerra austríacos, alemães, húngaros e turcos no Japão e na Sibéria. Durante a Segunda Guerra Mundial, a organização instalou uma delegação no país (em 1942), visitou campos de prisioneiros de guerra e ajudou as vítimas da explosão da bomba atômica em Hiroshima.
 

Após um intervalo de 60 anos, foi aberto um escritório em Tóquio, em fevereiro de 2009, quando o Japão se tornou um doador importante às atividades de ajuda internacional, sendo o CICV um dos beneficiários.
 

Qual a atuação do CICV em Tóquio?

Colaboração para entender o trabalho humanitário

O socorro em situações de desastres é bem conhecido no Japão, já a assistência humanitária durante conflitos e violência nem tanto. O CICV aumenta o interesse com a facilitação da cobertura dos meios de comunicação sobre as suas operações, organização de simpósios, seminários e debates sobre os tópicos humanitários e contribuição às discussões dos grupos de análises (think tanks). Os temas variam desde o gerenciamento de crises, a segurança das equipes e a segurança humana até a proteção e o Direito Internacional Humanitário (DIH).
 

Fomento das relações com os principais Ministérios

A instituição trabalha em estreita parceria com o Ministério das Relações Exteriores do Japão, possibilitando que o país mantenha e fortaleça o seu apoio financeiro e político, o qual é altamente valorizado e indispensável à organização. O Japão é um dos maiores doadores do Comitê, situado em sexto lugar em 2011, 2012 e 2013. O Ministério exerceu a presidência do Grupo de Apoio de Doadores do CICV em 2012, intercambiando, com regularidade, opiniões sobre as questões humanitárias e contextos de interesse mútuo.

A organização também trabalha com o Ministério da Defesa em questões como a interpretação e a implementação do direito humanitário em relação aos prisioneiros de guerra, operações de manutenção de paz e assistência humanitária. Os dois organismos organizam conjuntamente debates de alto nível, palestras, simulações e seminários. Além disso, a organização apoia a participação de oficiais das forças armadas do Japão em eventos relativos ao DIH.

Recrutamento de mais delegados japoneses

Desde meados de dezembro de 2013, 19 funcionários japoneses já trabalhavam com o CICV ao redor do mundo. A organização tem por objetivo aumentar esta quantidade mediante a realização de seminários de recrutamento, cooperação com o Ministério das Relações Exteriores, apresentações a universidades, participação em feiras de recrutamento e anúncios online. A missão em Tóquio realiza entrevistas de pré-seleção dos candidatos antes de encaminhá-los à sede em Genebra.

Cooperação com a Cruz Vermelha Japonesa

A Cruz Vermelha Japonesa contribui financeiramente com o CICV e fornece regularmente profissionais para as missões no terreno. No período de 2012 a 2013, enviou uma equipe médica de emergência para apoiar as operações nas Filipinas. As duas organizações também trabalham em conjunto na elaboração de materiais e eventos informativos. Além disso, realizaram, em parceria, um simpósio e uma exposição fotógrafica para comemorar os 150 anos da fundação do CICV e da adoção da  I Convenção de Genebra.
 

Relações Públicas

O CICV em Tóquio fortaleceu suas atividades de comunicação no Japão para que a população possa compreender melhor a resposta da instituição às emergências humanitárias globais. A missão criou uma página web em japonês e desenvolveu ferramentas de comunicação em redes sociais, como o Facebook e Twitter, para compartilhar a informação rapidamente com a sociedade japonesa. Do mesmo modo, trabalha-se com os meios de comunicação para uma maior conscientização das necessidades humanitárias das populações que sofrem com os conflitos armados.

Difusão do Direito Internacional Humanitário (DIH)

Junto com a Cruz Vermelha Japonesa, o Comitê empenha-se em aumentar o conhecimento do DIH juntos aos meios acadêmicos, funcionários governamentais, jornalistas, ONGs e equipes e voluntários dessa organização. As duas instituições realizam conjuntamente um curso anual intensivo de direito humanitário em japonês para ajudar distintos atores a compreender a função deste ramo do Direito nos assuntos internacionais contemporâneos. Alunos da China, Coreia e Taiwan assistem a uma edição em inglês do curso.

Foto

O presidente do CICV, Peter Maurer, e o primeiro ministro japonês, Shinzo Abe, conversam sobre assuntos humanitários e cooperação. 

Kasumigaseki, Tóquio, maio de 2013
O presidente do CICV, Peter Maurer, e o primeiro ministro japonês, Shinzo Abe, conversam sobre assuntos humanitários e cooperação.
© CICV / Jeff Cooke

Um curso intensivo de DIH de cinco dias, em japonês, foi realizado pela terceira vez. Um curso similar foi organizado em inglês para participantes de Taiwan e Hong Kong. 

Osaka, setembro de 2013
Um curso intensivo de DIH de cinco dias, em japonês, foi realizado pela terceira vez. Um curso similar foi organizado em inglês para participantes de Taiwan e Hong Kong.
© CICV / Takanori Hosokawa

A missão do CICV em Tóquio organizou um simpósio sobre o Sudão do Sul com palestrantes convidados representando o governo, meios acadêmicos e de comunicação e o CICV. 

Ichigaya, Tóquio, julho de 2013
A missão do CICV em Tóquio organizou um simpósio sobre o Sudão do Sul com palestrantes convidados representando o governo, meios acadêmicos e de comunicação e o CICV.
© CICV / Kayoko Saito

O diretor de operações do CICV, Pierre Krähenbühl, agradeceu ao vice-ministro de Defesa o apoio à organização, ocasião em que apresentou o planejamento do CICV para 2014. 

Ichigaya, Tóquio, novembro de 2013
O diretor de operações do CICV, Pierre Krähenbühl, agradeceu ao vice-ministro de Defesa o apoio à organização, ocasião em que apresentou o planejamento do CICV para 2014.
© Ministério da Defesa