• Enviar esta página

Visita a detidos

Visita a detidos

Por meio das Convenções de Genebra, a comunidade internacional confiou ao CICV a missão de realizar visitas tanto a prisioneiros de guerra como a civis detidos durante conflitos armados. Sempre que possível, o CICV também visita pessoas detidas em outras situações de violência. Tais visitas têm por objetivo assegurar que os detidos, independentemente dos motivos para sua captura e detenção, sejam tratados com dignidade e humanidade, em conformidade com as normas e os padrões internacionais. Os delegados do CICV trabalham com autoridades no sentido de prevenir abusos e melhorar tanto o tratamento dado aos detidos como suas condições de detenção. Leia panorama completo.

Fatos e números

As visitas do CICV aos detidos se baseiam em determinadas condições, que devem ser cumpridas. Os delegados devem poder:

  • visitar todas as instalações;
  • conversar em particular com os detidfos de sua escolha;
  • repetir as visitas com a frequência que julgarem necessária;
  • manter um diálogo construtivo com as autoridades.

As observações e as recomendações são discutidas somente com as autoridades pertinentes. O CICV acredita que esta é a melhor maneira de se obter os resultados satisafatórios.

Publicações Mais publicações

  • Fazer respeitar a vida e a dignidade das pessoas privadas de liberdade

    Este folheto revisado relata situações intoleráveis de insegurança e violência, acompanhadas de execuções sumárias, desaparecimentos, detenções arbitrárias, etc. Também descreve as atividades do CICV como intermediário neutro entre as autoridades detentoras e as vítimas, e a luta da organização para garantir o respeito à dignidade humana.

  • LINHA DIRETA: Assistência aos Jornalistas em Missões Perigosas

    Profissionais da imprensa costumam estar expostos a sérios perigoss quando cobrem conflitos armados em zonas de guerra e áreas associadas à violência armada. O CICV possio uma linha direta para colocar jornalistas em contato com suas famílias e meios de comunicação onde trabalham seja por estarem capturados, desaparecidos ou feridos. Este folheto explica como entrar em contato com o CICV e como a organização pode ajudá-los.